Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Bolsa de Valores

ABERTURA: Futuros do Ibovespa em alta com exterior positivo; dólar em leve baixa

14 maio 2019 - 10h19Por Investing.com
Investing.com - Após uma segunda-feira negativa, o índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta terça-feira com alta de 0,65% aos 92.332 pontos, em um cenário que se mostra mais benigno no exterior. No mercado local, o clima segue de expectativa com a Reforma da Previdência em meio à quebra do sigilo bancário do senador e filho do presidente Flávio Bolsonaro e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz. O dólar abriu com uma pequena queda de 0,20% a R$ 3,9845. Mais uma vez a temporada de balanços deve movimentar as atenções dos investidores, em dia de aparente alívio vindo do exterior. Além disso, os próximos dias devem trazer poucas novidades sobre a reforma da Previdência, e também de votações importantes no Congresso, devido a uma viagem do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, aos Estados Unidos. Na noite de segunda-feira, foram divulgados trechos da delação premiada do empresário Henrique Constantino, ex-presidente do Conselho de Administração da Gol (SA:GOLL4). O empresário cita pagamento de vantagens indevidas a parlamentares de vários partidos, entre os quais o atual presidente da Câmara, para favorecer a companhia e o setor aéreo em pautas relacionadas ao segmento no Congresso. O conteúdo completo da delação ainda está sob sigilo. O ex-presidente Michel Temer e os ex-deputados federais Eduardo Cunha, Henrique Alves e Geddel Vieira Lima também são citados Hoje, ao final do pregão, serão divulgados os números trimestrais, com destaque para Bradespar (SA:BRAP4), Rossi (SA:RSID3) Residencial, Banrisul (SA:BRSR6), Eztec (SA:EZTC3), Minerva (SA:BEEF3), Taesa (SA:TAEE11), Equatorial (SA:EQTL3) e Light (SA:LIGT3).

Quer começar a investir em ações? Clique aqui para abrir uma conta na Órama e fazer o seu dinheiro render!

Serviços O IBGE informou nesta terça-feira que o volume de serviços caiu 0,7% em março de 2019, na comparação com fevereiro. Com isso, o setor acumula queda de 1,7% nos três primeiros meses do ano e elimina a alta de 0,9% entre outubro e dezembro de 2018. Guerra Comercial A China e os Estados Unidos concordaram em continuar conversando sobre sua disputa comercial, disse o governo chinês nesta terça-feira, depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, ter afirmado achar que as discussões recentes em Pequim terão sucesso. As declarações ligeiramente mais otimistas foram feitas depois que ambos os lados intensificaram sua guerra comercial, com a China anunciando detalhes de novas tarifas contra importações dos EUA na segunda-feira, após a decisão dos EUA na semana passada de tarifar importações chinesas. Bolsas Internacionais Na Europa, a sessão se mostra positiva para os principais mercados acionários. Em Frankfurt, o DAX registra alta de 0,51% aos 11.937 pontos, enquanto que, em Londres, o FTSE soma 0,88% aos 7.227 pontos. Já em Paris, o CAC tem alta de 1,08% aos 5.319 pontos. Commodities A jornada desta terça-feira na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian foi marcada pela desvalorização dos contratos futuros do minério de ferro. O ativo com maior volume de negócios, com vencimento em setembro deste ano, apresentou queda de 1,60%, encerrando assim o dia transacionado a 644,50 iuanes por tonelada, o que representa uma variação de 10,50 iuanes. O dia também se mostrou negativo para os papéis do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias da também chinesa cidade de Xangai. O contrato de maior liquidez, para outubro de 2019, perdeu 58 iuanes para 3.663 iuanes por tonelada, enquanto o mais curto, de maio, somou 21 iuanes para 4.172 iuanes por tonelada. Já para o petróleo, a terça-feira se mostra positiva para os negócios com o produto, após iniciar o dia em queda. Em Nova York, o barril do tipo WTI é negociado com ganhos de 0,84%, ou US$ 0,51, a US$ 61,55, enquanto que em Londres, o Brent ganha 1,18%, ou US$ 0,83, a US$ 71,06. Mercado Corporativo Cosan A empresa de infraestrutura e energia Cosan (SA:CSAN3) informou nesta segunda-feira que registrou lucro líquido de 395,7 milhões de reais no primeiro trimestre, alta de 14,5% na comparação anual. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou 1,4 bilhão de reais, aumento de 21,4% no comparativo anual. A Cosan, sócia da Shell na joint venture Raízen, informou que a sua unidade de produção de açúcar e etanol fechou a temporada 2018/19 (encerrada em março) com moagem de 59,7 milhões de toneladas de cana, queda anual de 2%, com redução de 6% da produtividade do canavial. JBS A maior processadora de carne bovina do mundo, JBS (SA:JBSS3), teve lucro líquido de cerca de 1,1 bilhão de reais no primeiro trimestre, mais que o dobro do desempenho registrado um ano antes, com forte desempenho de unidade de suínos nos Estados Unidos e fraqueza na divisão Seara no Brasil. A companhia apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 3,19 bilhões de reais entre janeiro e março, um crescimento de 14,4 por cento sobre o mesmo período do ano passado. O desempenho do Ebitda veio praticamente em linha com os 3,1 bilhões de reais estimados em média por analistas consultados pela Refinitv. Enquanto isso a receita líquida, de 44,37 bilhões de reais, ficou abaixo dos 45,9 bilhões previstos em média por analistas. Itausa A holding do Itaú Unibanco (SA:ITUB4), Itaúsa (SA:ITSA4), teve lucro líquido de 2,486 bilhões de reais no primeiro trimestre, um crescimento de 3,6% sobre o resultado obtido um ano antes. A companhia, que em seu portfólio de ativos detém participações na Alpargatas (SA:ALPA4) e da Duratex (SA:DTEX3), afirmou no balanço que “a evolução do cenário econômico abaixo das expectativas vem impactando negativamente o desempenho das empresas investidas do portfólio do setor não financeiro”. O Itaú Unibanco iniciou um plano para fechar até 400 agências no país, num impulso do maior banco privado do país para se adequar à migração das transações bancárias de clientes para canais eletrônicos e ampliar a rentabilidade, disseram à Reuters duas fontes a par do assunto. O número representa quase 10 por cento dos cerca dos 4,2 mil pontos físicos do banco no país, incluindo agências e postos de atendimento, no final de março, o número público mais recente. Em 12 meses até março, o número de pontos de atendimento e o de funcionários do Itaú Unibanco - cerca de 100 mil - mantiveram-se praticamente estáveis, segundo o balanço do próprio banco. Petrobras A Petrobras (SA:PETR4) informou nesta segunda-feira que iniciou a etapa de divulgação de oportunidade para venda integral de sua participação de 93,7% na empresa Breitener Energética, que possui duas unidades termelétricas em Manaus, totalizando 315 MW de capacidade instalada. As usinas possuem capacidade contratada de 120 MW até 2025 com a Amazonas Energia, distribuidora de energia do Amazonas, por meio de contrato exclusivo de compra e venda de energia (Power Purchase Agreement). Natura A Natura Cosméticos (SA:NATU3) está perto de fechar um acordo para comprar a Avon Products (NYSE:AVP), disse uma fonte com conhecimento do assunto nesta segunda-feira. Segundo a fonte, o acordo pode ser anunciado a partir de sexta-feira, ou na próxima semana. Não ficou claro se a Natura pagaria um prêmio sobre os preços atuais do mercado ou não. A Natura e a Avon, que tem um valor de mercado de 1,4 bilhão de dólares, não comentaram imediatamente sobre o assunto. As discussões sobre o financiamento da proposta atrasaram o anúncio, acrescentou a fonte. Inicialmente, o UBS, que está assessorando a Natura no negócio, e o Morgan Stanley (NYSE:MS) ofereceram o financiamento. Minerva A produtora de carne bovina Minerva anunciou nesta segunda-feira o adiamento da oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de sua subsidiária Athena Foods na Bolsa de Santiago, alegando “condições adversas no mercado global”. A Minerva havia anunciado o IPO em abril e esperava que a operação fosse concluída até o final deste mês, dentro do cronograma da oferta. BR Distribuidora A BR Distribuidora (SA:BRDT3), companhia de combustíveis da Petrobras, informou nesta segunda-feira que iniciou a fase vinculante para a alienação de sua participação societária na CDGN Logística. “Nesta etapa do projeto, os interessados habilitados na fase anterior receberão cartas-convite com instruções detalhadas sobre o processo de desinvestimento”, disse a empresa em fato relevante. A BR Distribuidora possui 49% de partipação no capital da CDGN, que atua como operadora logística no setor de gás natural, e havia divulgado o início do processo de desinvestimento no dia 7 de janeiro. Sul América A seguradora Sul América (SA:SULA11) anunciou nesta segunda-feira acordo para venda de sua fatia minoritária na Caixa Capitalização e um investimento na plataforma especializada em investimentos pessoais Órama. Num primeiro comunicado, a Sul América informou que vendeu sua participação equivalente a 24,5 por cento da CaixaCap, para o Grupo Icatu, que já é acionista da empresa, por valor inicial de 100 milhões de reais. O montante pode incluir um adicional de até 83 milhões de reais. Agenda de Autoridades Nesta terça-feira o presidente Jair Bolsonaro inicia o dia com reunião com Gustavo Canuto, Ministro de Estado do Desenvolvimento Regional, recebendo na parte da tarde Marcos Cintra, Secretário da Receita Federal. Em seguida, tem encontro com Deputado Sóstenes Cavalcante (DEM/RJ), e Deputado Pastor Marco Feliciano (PODE/SP) e, logo depois com Deputado Major Vitor Hugo (PSL/GO), Líder do governo na Câmara; Deputado Elmar Nascimento (DEM/BA); e Deputado Arthur Lira (PP/AL). Já o ministro da Economia, Paulo Gudes, tem reunião no final da manhã com o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Mais tarde, participa da Audiência Pública na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização – CMO.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: