terça, 28 de maio de 2024
Empresas

Roupa tecnológica da Speedo contra dengue se esgota

Companhia já trabalha para produzir camisetas ainda mais tecnológicas, segundo CEO

09 abril 2024 - 14h47Por Redação SpaceMoney

O Brasil acaba de superar 2,5 milhões de casos de dengue, em um dos piores surtos da doença da história. Infelizmente, os números mostram que, somente a prevenção, focada em não deixar a água parada em recipientes, não está funcionando.

Agora, a Speedo Multisport, uma das principais marcas de materiais esportivos do país, acaba de lançar a linha Reepel, com uma tecnologia que repele o mosquito da dengue e demais insetos.

“Nós investimos, todos os anos, entre 8% e 12% do nosso faturamento em inovação. Isso está no nosso DNA. Enquanto marca, é nossa obrigação entender a necessidade do consumidor e darmos uma resposta rápida. Neste momento, temos um problema gravíssimo acontecendo e o nosso time de produtos focou em lançar algo realmente impactante e de acordo com a necessidade atual”, explica Roberto Jalonetsky, CEO da Speedo Multisport.

Jalonetsky ressaltou também que já sabia da alta demanda, em função da epidemia que está acontecendo no Brasil, mas não imaginava que o produto esgotaria com tamanha rapidez. "Nosso time de desenvolvimento de produtos já está trabalhando para lançarmos em breve, uma camiseta que, além de repelir, possuirá mais uma tecnologia embarcada", explica. 

A companhia está empenhada em acelerar a produção, em função da alta demanda. O lançamento deste novo produto ocorrerá primeiro no e-commerce Speedo, através do site www.speedo.com.br. Estes lançamentos fazem parte da estratégia de aceleração da companhia, que completa 46 anos no Brasil e cresceu 24% em 2023, mesmo em um ano difícil para o varejo.

A linha Reepel atual é feita de poliamida e o tecido recebe uma camada adicional de proteção, servindo de barreira para diversos insetos como: febre amarela, dengue, zika e chikungunya. Além disso, possui proteção UV50 contra raios solares.

A química que faz toda a proteção chama-se Insecta EC50 e foi desenvolvida na Bélgica. Cientistas identificaram que o piretro, um composto químico natural encontrado na natureza, mais especificamente nas flores de crisântemo, é capaz de repelir os insetos. Baseados nessa descoberta, desenvolveram um composto sintético chamado permetrina.

No tecido, a permetrina mantém os insetos a uma distância de pelo menos 20 cm de distância. Isso faz com que, mesmo em áreas expostas, como mãos e cabeça, permaneçam protegidas pela camiseta. A durabilidade também é prolongada. Suporta até 100 lavagens, não possui qualquer odor e não causa danos ao meio ambiente.

“Estamos colocando no mercado a mais alta tecnologia de tecido para combater a dengue e outros mosquitos que causam doenças graves. No ano passado lançamos uma linha feita a partir de garrafas pet recicladas. Claro que, cuidar do meio ambiente é importantíssimo, mas ser verdadeiramente ESG, vai além disso. Ser uma companhia ESG requer olhar o tempo todo para as necessidades da sociedade e, entender enquanto marca, o que pode ser feito”, finaliza Jalonetsky.