quarta, 17 de abril de 2024
Crédito

Com 25 anos de mercado, Multiplike disponibiliza R$ 10 bilhões em crédito

Com um patrimônio líquido atual de 1,8 bilhões, a companhia é referência na geração de crédito para médias e grandes empresas

02 abril 2024 - 16h23Por Redação SpaceMoney
Volnei Eyng, economista e CEO da MultiplikeVolnei Eyng, economista e CEO da Multiplike

Fundada em 1999, a Multiplike é uma das principais gestoras multissacado/multicedente de crédito privado do país, especializada em antecipação de recebíveis e capital de giro.

Com mais de R$ 30 bilhões em créditos cedidos nos últimos anos, a companhia atua nos principais mercados. Expandindo seu crescimento e considerando o momento econômico estável do país com inflação sob controle, em 2024 a gestora está disponibilizando 10 bilhões de reais em crédito para os setores da construção civil, empresas prestadoras de serviço, agronegócio e indústrias.

“Segundo o Banco Central, é justamente o dinamismo e profissionalização das gestoras de recursos que tem permitido uma maior procura de crédito por médias e grandes empresas”, destaca Volnei Eyng, economista e CEO da gestora. 

Com um patrimônio líquido atual de 1,8 bilhões, a companhia é referência na geração de crédito para médias e grandes empresas, e com um objetivo audacioso, pretende originar 25 bilhões de recebíveis até 2025.

O serviço de crédito adotado pela empresa é um modelo distinto em relação aos bancos tradicionais. Dessa forma, dois grandes benefícios são agregados para as empresas que tomam crédito com a gestora: a isenção de IOF nas operações e não constar no endividamento bancário. Com capital próprio disponível somado a captação de recursos de investidores, a companhia possui caixa para operações financeiras de grande porte.

 

Disponibilidade de crédito que impulsiona a economia brasileira

Atualmente há uma deficiência de crédito proveniente de linhas bancárias e de iniciativas públicas que impulsionam o crescimento de empresas brasileiras. Uma das provas disso é a evasão de recursos das poupanças que em grande parte são utilizados para iniciativas de empréstimo e financiamento. Somente em janeiro, os investidores retiraram da poupança R$ 20,1 bilhões a mais do que depositaram.

No último ano a aplicação perdeu R$ 87,8 bilhões (2023). Diante desse cenário, o mercado imobiliário foi o principal setor afetado. Segundo a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), o número de lançamentos de unidades imobiliárias pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) caiu de 20% a 30% em 2023.


Um outro fato que evidencia a importância de iniciativas de crédito como a proposta pela Multiplike, é um estudo realizado pelo próprio BNDES que revela a diminuição dos recursos disponíveis pelo governo. O mesmo estudo mostra um aumento significativo do crédito disponibilizado pelo Mercado de Capitais, que vem se profissionalizando e ganhando cada vez mais eficiência na geração de crédito.

 
Confira o gráfico contido no estudo que ilustra este cenário:

Sobre este ponto, ainda é válido destacar que em suas últimas atas publicadas (dezembro 2023 e fevereiro 2024) o Banco Central apontou um crescimento do mercado de capitais na concessão de crédito à pessoa jurídica aliada a uma diminuição do crédito via setor bancário.

O que justifica esse movimento, segundo o Banco Central, é justamente um maior dinamismo e profissionalização das gestoras de recursos que tem permitido uma maior procura por médias e grandes empresas.