Menu
Busca domingo, 17 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Metal amarelo

Sexto dia de queda do ouro: outro mergulho lento

28 janeiro 2021 - 18h08Por Investing.com

Por Barani Krishnan, da Investing.com - O dólar está recuando e as ações que sofreram estão voltando com força total, mas nada disso está favorecendo o ouro, que continuou sua marcha majestosa em direção ao fundo na quinta-feira (28).

O ouro para entrega em fevereiro na Comex de Nova York fechou em US$ 1.837,90 - queda de US$ 7, ou 0,4%, para estender por um sexto dia consecutivo a queda em câmera lenta que anulou quase US$ 29, ou 1,5%, do contrato futuro de ouro.

O ouro tem estado sem vida e sem direção nos últimos dias, apesar da pressão do presidente Biden por seu estímulo de US$ 1,9 trilhão, o presidente do Federal Reserve, Jay Powell, descartando qualquer redução nas medidas de flexibilização em breve e as ações de Wall Street se recuperando violentamente na quinta-feira, logo após a queda um dia antes.

O Índice Dólar, que opõe o dólar contra uma cesta de seis moedas, estava, entretanto, caindo 0,3%, devolvendo todo o avanço do dia anterior. Isso, pelo menos, deveria ter sido favorável ao ouro.

O S&P 500, um termômetro para as 500 principais ações dos EUA, subiu 1,9%, recuperando quase toda a queda de quarta-feira. Outrora uma negociação reversa ao ouro, a relação inversa entre as ações e o metal amarelo é quase invisível hoje em dia, com cada um fazendo seus próprios movimentos.

O único gatilho lógico para o declínio contínuo do ouro na quinta-feira pode ser o rendimento dos títulos, como o Tesouro dos EUA a 10 anos, que subiu 5% para seu primeiro salto em quatro dias.

A TD Securities, falando sobre o ouro em um comentário, tentou realizar uma interpretação plausível sobre o que estava acontecendo com o porto-seguro favorito de todos e hedge de inflação após o sinal do Fed desta semana de que as medidas de flexibilização não iriam embora tão cedo.

“Embora a observação de Powell de que a economia está a um 'longo caminho' dos objetivos do Fed e que falar em redução é 'prematuro' devesse remover algumas preocupações com o ouro, nossos estrategistas de taxas sugerem que as preocupações com o fornecimento devem continuar a impulsionar um declínio baixista”, disse a corretora.

“Nosso modelo Global Macro PCA sugere que os preços do ouro estão cada vez mais construindo um desconto em relação a outros mercados relacionados ao tema da reflação, mas argumentamos que o desconto do metal amarelo é atribuível ao seu regime de comércio”, acrescentou a nota do TD . “Na verdade, o ouro está agora sendo negociado mais como um ativo porto-seguro do que um ativo de proteção contra a inflação, o que argumenta que os fluxos de investimento são fracos por enquanto. Nesse contexto, os otimistas estão cada vez mais contando com a queda dos rendimentos do Tesouro, em vez do aumento das expectativas de inflação, para alimentar taxas reais mais baixas”.

Os touros do ouro permanecem esperançosos.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: