Menu
Busca domingo, 17 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Commodities

Preços do petróleo sobem com novo ataque de Houthi à Arábia Saudita

Às 13h30, os futuros do petróleo dos EUA subiam 0,6%, a US$ 61,80 o barril, enquanto os futuros do Brent subiam 0,58%, a US$ 65,78 o barril

23 abril 2021 - 13h31Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - Os preços do petróleo bruto subiam na sexta-feira (23), após os rebeldes Houthi no Iêmen atacarem novamente as instalações de petróleo da Arábia Saudita com drones, em um novo lembrete do risco para a infraestrutura de exportação chave.

Às 13h30 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA subiam 0,6%, a US$ 61,80 o barril, enquanto os futuros do Brent subiam 0,58%, a US$ 65,78 o barril. Ambos os contratos ainda estavam em curso para terminar a semana em baixa, no entanto, e o movimento parecia mais um curto aumento do que o início de uma alta em novas faixas.

A Reuters relatou que um porta-voz militar Houthi disse que o grupo tinha como alvo a base aérea King Khalid com dois drones e havia atingido uma instalação da companhia de petróleo da Arábia Saudita Aramco (SE:2222) com um drone no sudoeste do país, na cidade de Jizan.

A extensão dos danos, se houver, dos ataques, não foi imediatamente aparente. Os rebeldes têm visado consistentemente a infraestrutura de exportação de petróleo com ataques de drones nas últimas semanas, em uma aparente tentativa de ganhar força para seus apoiadores no Irã, que está tentando negociar o levantamento das sanções pelos EUA.

No entanto, também houve sinais no início do dia de que os fundamentos do mercado haviam melhorado, com os índices dos gerentes de compras na zona do euro e nos EUA superando as expectativas, tranquilizando sobre a recuperação em dois dos maiores centros de demanda do mundo. O aumento da demanda no mundo ocidental teve que ser compensado pelos crescentes sinais de problemas na Índia e no Japão nesta semana. Ambos os países impuseram restrições cada vez maiores para enfrentar o que é, no caso da Índia em particular, a fase mais aguda da pandemia até então.

Paola Rodriguez-Masiu, analista da consultoria Rystad Energy, argumentou em nota que os PMIs da Europa são "um sinal de que a demanda está aumentando" apesar do início de um novo bloqueio nacional na Alemanha, maior economia da região. Ela destacou que a França já está começando a remover as restrições depois de achatar sua curva de infecção. A Alemanha, por sua vez, ainda está lutando para reduzir o número de casos, mas pode apontar para uma campanha de vacinação em rápida aceleração como um sinal de progresso a longo prazo.

Rodriguez-Masiu disse que o mercado pode ter subestimado a força da recuperação da demanda, que ela disse que provavelmente levará a um aumento na redução dos estoques durante o verão, na ausência de oferta consideravelmente maior. Atualmente, o chamado bloco Opep+ deve aumentar a oferta em cerca de 2 milhões de barris por dia até o final de junho.

"Enormes estoques de petróleo bruto na segunda parte da temporada de verão ainda não estão precificados nas curvas e podem facilmente levar a uma alta nos preços", argumentou ela.

Na sexta-feira, a gigante de serviços de campos petrolíferos Schlumberger (NYSE:SLB) (SA:SLBG34) disse que esperava uma recuperação clara na perfuração internacional no final do ano. Mais tarde, a Baker Hughes apresentará um relatório sobre se a perfuração dos EUA aumentou ainda mais depois que sua contagem de sondas semanal atingiu o nível mais alto em um ano na semana passada, em 344.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: