Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
Sobe e desce

Petróleo sobe enquanto esperanças de aumento de auxílio derrubam o dólar

29 dezembro 2020 - 11h47Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - Os preços do petróleo bruto subiam na terça-feira (29), à medida que a esperança de um novo aumento no pacote de estímulo dos EUA empurrava o dólar para baixo para testar uma mínima de 32 meses.

Por volta das 11h35 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA subiam 1,1%, a US$ 48,16 o barril, enquanto o benchmark internacional Brent subia 1,1%, a US$ 51,44 o barril.

Os futuros da gasolina RBOB subiam 1,1% para US$ 1,3750 o galão.

Com poucas notícias interessantes vindo do mercado físico, foi o cenário macroeconômico que dominou, com a fraqueza do dólar à frente e ao centro. Um dólar mais barato tende a aumentar todos os preços de commodities denominados na moeda de reserva efetiva do mundo, permitindo que as economias emergentes, em particular, comprem mais moedas denominadas em dólares com seu próprio dinheiro.

A fuga para moedas de maior rendimento está sendo impulsionada em parte pela esperança de que o Senado dos EUA vote para aumentar os pagamentos diretos às famílias no pacote de estímulo recente de US$ 600 para US$ 2.000, como atualmente previsto. Isso teria o efeito de apoiar a demanda do consumidor dos EUA de forma mais abrangente no curto prazo, algo que acabaria por beneficiar os parceiros comerciais dos EUA.

A confluência da fraqueza do dólar, da disciplina do produtor e do otimismo sobre uma recuperação econômica em 2021 elevou os preços em cerca de 50% nos últimos dois meses de 2020, com os participantes financeiros desempenhando um papel importante. Dados divulgados pela Commodity Futures Trading Commission na segunda-feira mostraram que a posição longa especulativa líquida em futuros de petróleo subiu para quase 526.000 contratos na semana passada, o nível mais alto desde o início de agosto.

Às 18h30, o American Petroleum Institute divulgará sua avaliação semanal dos estoques de petróleo dos EUA, embora os analistas apontem que os números vêm com um grande alerta.

"Os efeitos de final de ano, principalmente impulsionados pelo tratamento fiscal dos estoques mantidos no Ano Novo no Texas, combinados com feriados, tornam o conjunto de dados final do ano sempre maluco", disse Paul Sankey, da Sankey Research, em comentários por e-mail.

De acordo com os cálculos da API, os estoques de petróleo dos EUA aumentaram nas últimas seis semanas consecutivas e ainda estão mais de 50 milhões de barris acima do mesmo ponto em qualquer um dos últimos três anos. No entanto, Sankey destacou que: "uma coisa é certa, a situação do estoque está absolutamente preparada para um retorno da demanda de combustível de aviação, já que os refinadores levaram os níveis de estoque a mínimos históricos."

Os estoques de combustível de aviação estão atualmente no limite inferior de sua faixa dos últimos cinco anos, de acordo com dados do governo. Em parte porque o número de viagens aéreas se manteve surpreendentemente robusto durante o período de férias: de acordo com o Washington Post, mais de 1 milhão de norte-americanos voaram em cada um dos três dias do fim de semana de Natal, mais ainda do que durante o fim de semana de Ação de Graças este ano.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: