Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Commodities

Petróleo cai com aproximação da reunião da Opep+

Às 13h23 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA eram negociados em baixa de 1,93%, a US$ 60,37 o barril, enquanto o contrato de referência internacional Brent caía 1,51%, para US$ 63,94

30 março 2021 - 13h23Por Investing.com

Por Peter Nurse, da Investing.com - Os preços do petróleo caíam na terça-feira (30), após o Canal de Suez ser finalmente reaberto depois de quase uma semana, com as atenções voltadas para a reunião desta semana dos principais produtores para discutir os níveis de produção.

Às 13h23 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA eram negociados em baixa de 1,93%, a US$ 60,37 o barril, enquanto o contrato de referência internacional Brent caía 1,51%, para US$ 63,94.

Embora esses dois contratos tenham ganhado mais de 20% no ano até a data e estejam a caminho de fechar um quarto avanço trimestral consecutivo na quarta-feira, ambos estão cerca de 1% mais baixos em relação ao mês passado, em meio a preocupações com a recuperação da demanda na Europa e com a chance de os casos de Covid-19 em países como a Índia e o Brasil subirem mais uma vez.

Os futuros da gasolina dos EUA caíam 0,81%, para US$ 1,9847 o galão.

Depois de uma longa saga para desencalhar um navio de contêineres gigante preso na hidrovia, as autoridades do Canal de Suez anunciaram na terça-feira que o navio foi liberado e o tráfego foi retomado. Espera-se que as operações voltem ao normal em alguns dias, o que significa que o fornecimento de petróleo retornará por meio de uma das rotas de transporte mais importantes do mundo.

Com as preocupações sobre uma possível escassez de suprimentos físicos diminuindo, o mercado está voltando seu foco para a reunião de quinta-feira da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, incluindo a Rússia, um grupo conhecido como Opep+, para discutir os níveis de produção para maio.

O acordo atual do cartel resulta em mais de 7 milhões de barris por dia sendo mantidos fora do mercado, com a Arábia Saudita segurando um adicional de 1 milhão de barris.

“Antes da fraqueza do mercado, as expectativas eram de que o grupo começaria a afrouxar os cortes de forma mais agressiva a partir de maio”, disseram analistas do ING, em nota. “No entanto, a oscilação que vimos nos preços significa que a Opep+ provavelmente precisará adotar uma abordagem cautelosa novamente.”

Também pesa sobre o mercado de petróleo nesta terça-feira a valorização do dólar americano. O dólar atingiu seu nível mais alto em mais de um ano em relação ao iene e sua máxima em quatro meses em relação ao euro, com o rendimento da nota do Tesouro de 10 anos subindo para 1,77%, o maior desde o início da pandemia.

Também serão de interesse os dados de estoques de petróleo bruto dos EUA do American Petroleum Institute para a semana encerrada em 26 de março. O grupo da indústria registrou um aumento de pouco menos de 3 milhões de barris na semana passada

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: