Menu
Busca domingo, 17 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Metal amarelo

Ouro pausa vendas, reduzindo a perda semanal após mínima de 8 meses

19 fevereiro 2021 - 18h08Por Investing.com

Investing.com - Os preços do ouro avançaram pelo segundo dia consecutivo na sexta-feira (19), interrompendo uma queda de seis dias que o levou às mínimas de junho.

Apesar da capacidade do metal amarelo de estancar o sangramento, o suporte para o chamado hedge de inflação e porto seguro foi fraco, na melhor das hipóteses, dizem estrategistas de commodities e aqueles que passam o dia estudando variáveis e a direção potencial do ouro.

No fechamento de sexta-feira, ouro para entrega em abril na Comex subia US$ 2,40, ou 0,1%, a US$ 1.777 a onça. Durante a semana, porém, perdeu cerca de 2,5%.

No total, o contrato futuro de referência para o ouro perdeu US$ 60, ou 3,5%, desde o fechamento de 10 de fevereiro. A queda de sexta-feira levou-o para US$ 1.759,15, o menor valor desde a semana que terminou em 12 de junho.

“O ouro está passando por um momento difícil”, disse Craig Erlam, estrategista de mercado da corretora online OANDA.

“Mesmo a recuperação que vimos no ouro nos últimos dias não foi capaz de salvá-lo. Caiu para menos de US$ 1.760 hoje, o nível mais baixo desde o início de julho, em outro sinal de que suas perspectivas de curto prazo estão longe de ser boas.”

Fawad Razaqzada, analista da Think Markets, que regularmente traça a direção do ouro em um ambiente macro, concorda com Erlam que as coisas não têm sido - e não estão parecendo - ótimas para o ouro.

“Foi outra semana incrível para criptomoedas, cobre e libra, uma semana mista para ações ações e petróleo e ruim para o ouro”, escreveu Razaqzada em seu pacote semanal de mercados e previsões.

Devido à ação variada, “os investidores se perguntavam se o aumento dos rendimentos dos títulos era uma coisa boa (pois apontam para melhores condições econômicas) ou uma coisa ruim (pois reduzem a probabilidade de novos estímulos)”, acrescentou Razaqzada.

A ideia do ouro como uma proteção contra a inflação, ou porto seguro contra a maioria dos problemas econômicos e políticos, tem sido desafiada repetidamente nos últimos meses, desde que as descobertas da vacina para a Covid-19 pressionaram o metal amarelo de suas altas recordes de agosto, de quase US$ 2.090.

Com o presidente Joe Biden embarcando em um novo pacote de estímulo de US$ 1,9 trilhão após os quase US$ 4 trilhões emitidos por seu antecessor Donald Trump, o déficit fiscal e a dívida fiscal dos EUA com esses gastos devem pesar sobre o dólar, e não sobre o ouro.

No entanto, o Índice Dólar subiu, estimulado por um pico nos rendimentos do Tesouro dos EUA a 10 anos, gerando uma série de contratempos para o ouro.

O componente de risco geopolítico que segurou o ouro por décadas quase desapareceu também, com o metal amarelo caindo em vez de subir de uma recente explosão de tensões no Oriente Médio.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: