Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Commodities

Ouro cai abaixo de US$ 1.700 com alta de dólar e rendimentos nos EUA

Os futuros de ouro de referência na Comex de Nova York caíam US$ 29,60, ou 1,73%, para US$ 1.684,66 a onça às 13h20 (horário de Brasília), após caírem para até US$ 1.678,80

30 março 2021 - 13h21Por Investing.com

Por Barani Krishnan, da Investing.com - Os preços do ouro caíam fortemente na terça-feira (30), quebrando abaixo do suporte de US$ 1.700 em que se mantiveram desde meados de março, com o rival dólar alcançando um nível chave de alta apoiado nos rendimentos dos títulos dos EUA.

Os futuros de ouro de referência na Comex de Nova York caíam US$ 29,60, ou 1,73%, para US$ 1.684,66 a onça às 13h20 (horário de Brasília), após caírem para até US$ 1.678,80. Foi a primeira vez que o ouro da Comex revisitou os níveis de US$ 1.600 desde 18 de março. Foi também a maior queda em um dia desde 26 de fevereiro.

O preço à vista do ouro caía quase paralelamente ao movimento nos futuros, sendo negociado em queda de US$ 25,82, ou 1,5%, a US$ 1.686,54, após uma mínima intradiária de US$ 1.678,90. Os administradores de fundos às vezes confiam mais no preço à vista do que nos futuros para obter orientação.

O Índice Dólar, que opõe a moeda contra as seis principais divisas do mundo, quebrou seu teto de 93, aumentando a pressão sobre o ouro. O dólar disparou depois que os rendimentos da Nota do Tesouro dos EUA a 10 anos atingiram 1,77% - uma alta não vista desde janeiro de 2020.

Tanto os rendimentos dos títulos quanto o dólar estão subindo com as esperanças de recuperação econômica nos EUA, apesar do aumento nas infecções de Covid-19 por novas variantes do vírus.

Uma combinação de um programa de implementação de vacinas em aceleração e a perspectiva de um adicional de US$ 3 trilhões a US$ 4 trilhões em gastos com infraestrutura do governo Biden está alimentando o otimismo de que a economia dos EUA se recuperará muito mais rápido do que o esperado inicialmente.

“O ouro não é amado em meio a rendimentos mais altos”, escreveu Sophie Griffiths, analista de mercado da OANDA no Reino Unido, em uma nota.

“Vimos sinais do comércio de reflação questionando a capacidade do Federal Reserve de manter as taxas de juros nos níveis ultrabaixos atuais. A nova perna de alta nos rendimentos está atingindo fortemente a demanda por ouro.”

Gráficos técnicos, no entanto, indicaram que o ouro poderia se recuperar se atingisse menos de US$ 1.665.

“A ação do preço do gráfico semanal reflete o suporte credível na média móvel simples de 100 semanas a US$ 1.663”, disse Sunil Kumar, da SK Dixit Charting.

“Uma reversão constante ainda precisará de preços acima de US$ 1.707 - US$ 1.720. O uspide pode ser visto de US$ 1.720 a US$ 1.745 e US$ 1.785.”

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: