quarta, 06 de julho de 2022
[IPE NECTON - SPACENOW DESKTOP]
O que influencia o dia

Musk x Twitter, 2º turno na França, royalties de petróleo: as principais notícias de hoje (11)

Fique por dentro dos cinco principais assuntos que movimentarão os mercados em todo o mundo nesta segunda-feira

11 abril 2022 - 08h26Por Investing.com
IPE - NECTON - BILBOARD TOPO 2 - ÚLTIMAS NOTÍCIAS E DEMAIS]

Por Geoffrey Smith e Ana Beatriz Bartolo, da Investing.com - Os rendimentos dos títulos americanos sobem para novas máximas de três anos antes dos números potencialmente dramáticos da inflação nos EUA, que devem ser divulgados na terça-feira.

Elon Musk muda de ideia sobre se juntar ao conselho do Twitter e continua a criticar a empresa de mídia social em sua própria plataforma.

Emmanuel Macron está pronto para um segundo turno contra a líder de direita Marine Le Pen nas eleições presidenciais da França, e a Rússia relaxa os controles de capital à medida que as sanções do Ocidente provam ser mais latido do que mordida.

[OGF - VIP -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na segunda-feira, 11 de abril:

1. Os rendimentos dos títulos americanos chegam às máximas 

O indicador 10-Year do rendimento dos títulos dos EUA atingiu 2,75% pela primeira vez desde março de 2019, no início de uma semana que provavelmente será dominada pelos dados de inflação ao consumidor de março, que devem registrar outros 40- ano alto.

Às 08h07, os títulos de 10 anos dos EUA subiam 1,69%, para 2,761%, enquanto os rendimentos do título de 2 anos, que são mais sensíveis disparava 2,37%, a 2,5797%.

[OGF - VIP -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250 - TESTE A/B - 22-6-2022]

Antes dos dados de terça-feira, haverá outra rodada de falas do Fed: presidentes regionais Raphael Bostic, John Williams e Charles Evans devem falar no decorrer do dia, assim como a governadora de DC Michelle Bowman.

O fenômeno da inflação global ficou em evidência da noite para o dia: o preço ao produtor e preços ao consumidor da China chegaram à frente das expectativas, embora tenham sido fora de seus picos.

Os agregados de crédito e oferta de dinheiro da China também cresceram mais fortemente do que o esperado em março.

[NECTON IPE -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

O banco central ainda deve anunciar uma flexibilização da política monetária ao longo desta semana, no entanto.

2. Ações americanas devem abrir em baixa

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em baixa mais tarde, em meio ao desconforto contínuo com o aumento dos rendimentos dos títulos e sua capacidade de gerar algumas surpresas desagradáveis na próxima temporada de resultados do primeiro trimestre.

Às 08h11, os futuros da Nasdaq 100 recuavam 0,63%, enquanto os da Dow Jones e da S&P 500 caíam 0,27% e 0,01%, respectivamente. 

O NASDAQ ficou sob pressão renovada na semana passada, pois a necessidade de levar em consideração taxas de desconto mais altas nas avaliações das ações novamente pesou desproporcionalmente nas ações de tecnologia que ainda não devem gerar fluxo de caixa positivo por alguns anos.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem os ADRs da fabricante chinesa de veículos elétricos Nio (NYSE:NIO), que disse no fim de semana que irá suspender a produção devido a interrupções relacionadas aos bloqueios da Covid- 19. Também está aumentando os preços de seus três modelos de SUV.

Também em foco estará a JetBlue (NASDAQ:JBLU), que podou sua programação de verão no fim de semana em um esforço para reduzir o risco de interrupções.

Elon Musk não vai se juntar ao Conselho do Twitter afinal.

O CEO Parag Agrawal disse no sábado que Musk recusou a oferta de um assento do conselho, sugerindo que havia muito conflito entre os objetivos do conselho e os do CEO da Tesla (NASDAQ:TSLA). 

As ações do Twitter (NYSE:TWTR) caíram mais de 4% nas negociações de pré-mercado, tendo subido até 25% na semana passada em resposta à notícia de que Musk havia construído uma participação de 9,2%.

Não está claro como Musk pretende proceder agora.

Ele classificou sua participação como "passiva", mas passou grande parte da semana passada e do fim de semana twittando sobre como a empresa poderia melhorar seu serviço e suas finanças.

Um investidor “ativista” geralmente é obrigado a divulgar mais sobre suas intenções por meio dos canais regulatórios usuais.

Musk – cuja atividade no site já lhe trouxe sofrimento da SEC mais de uma vez – ainda não fez isso.

3. Alta nos royalties do petróleo 

A Agência Nacional de Petróleo (ANP) projeta que em 2022, os royalties do petróleo devem subir 58,9%, para R$ 118,7 bilhões, por causa da alta do preço do barril no mercado internacional.

Apenas em janeiro deste ano, a previsão é de quase R$ 77 bilhões. Em 2021, a arrecadação de estados, municípios e a da União sobre o petróleo tiveram um aumento de 65%.

Os estados e municípios de Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo tendem a ser os maiores beneficiados pelo crescimento dos royalties do petróleo.

Especialistas consultado pelo O Globo apontam, porém, que esse valor corre o risco ser revertido em políticas públicas de saúde, educação e meio ambiente de longo prazo, como está previsto na lei, por causa das eleições, onde os prefeitos e governadores tendem a gastar mais com a máquina pública para reforçar as campanhas eleitorais dos partidos.

Às 08h14, os futuros de petróleo nos EUA caíam 3,91%, a US$ 94,42, enquanto os de Brent recuavam 3,43%, a US$ 99,25.

4. Macron pronto para uma segunda rodada contra Le Pen

O presidente Emmanuel Macron emergiu no topo do primeiro turno das eleições presidenciais da França, pouco menos de quatro pontos à frente da líder populista de direita Marine Le Pen.

Os dois agora se enfrentarão em um segundo turno de votação em duas semanas.

Macron havia vencido um confronto semelhante por 66% a 34% em 2017, mas enfrenta uma disputa muito mais acirrada desta vez, depois que Le Pen marcou fortemente com uma campanha focada na crise do custo de vida e nos planos impopulares de Macron de aumentar a idade da pensão.

Os mercados de títulos da zona do euro e o próprio euro encenaram um modesto rali de alívio, conscientes de que Le Pen tem o impulso maior.

Pesquisas de opinião sugerem que ela reduziu a diferença para Macron de mais de 30% há um mês para menos de 4% agora.

Em outros lugares da Europa, a Alemanha acenou com a criação de medidas de apoio financeiro para suas empresas de energia, enquanto os dados mostraram que a economia do Reino Unido desacelerou para um rastejar em fevereiro.

5. Rússia relaxa controles de capital

O banco central da Rússia relaxou alguns de seus controles de capital mais onerosos em mais um sinal de que sua economia está se adaptando às sanções impostas pelos EUA, UE, Reino Unido, Japão e Austrália.

O banco central suspenderá a sobretaxa de 12% sobre transações cambiais que havia imposto no final de fevereiro para impedir a compra de dólares e euros pela população.

A taxa oficial do rublo caiu cerca de 2,6% em resposta, mas seu valor de sinal foi prejudicado pelas sanções, que ainda restringem a livre compra e venda de moeda. Em outros lugares, o banco francês Société Générale (PA:SOGN) efetivamente devolveu sua unidade russa Rosbank ao seu proprietário original, o oligarca Vladimir Potanin.

 

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content