Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
Radar corporativo

MRV lidera altas da B3 após prévia do 1T; Cia. Hering devolve altas

Essas são as principais notícias corporativas do dia

16 abril 2021 - 10h47Por Investing.com

Investing.com - As ações da MRV, da Tenda e da Lavvi (SA:LAVV3) subiam nesta sexta-feira (16) após as construtoras divulgarem as respectivas prévias operacionais para o primeiro trimestre, com alguns recordes e fortes altas na base anual por conta da base de comparação fraca. Na outra ponta, os papéis da Minerva (SA:BEEF3) lideravam as quedas, enquanto a Cia. Hering (SA:HGTX3) devolvia parte da alta da véspera.

Essas são as principais notícias corporativas do dia:

Petrobras (SA:PETR4) - Nomeado para liderar a Petrobras, o general da reserva Joaquim Silva e Luna endossou nomes de gerentes-executivos da empresa para concorrer ao comando de quatro diretorias executivas, disseram à Reuters fontes com conhecimento do assunto.

Petrobras II - A Petrobras devolveu integralmente a área de Peroba, no pré-sal da Bacia de Santos, marcando o primeiro retorno de uma área arrematada em um leilão de partilha de produção, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta quinta-feira. A ação preferencial subia 0,17%, a R$ 23,13.

Banco do Brasil (SA:BBAS3) - O Comitê de Pessoas, Remuneração e Elegibilidade (Corem) do Banco do Brasil retirou da pauta da reunião ocorrida no último dia 8 a análise da indicação de Iêda Aparecida de Moura Cagni a uma cadeira no conselho de administração da instituição, feita pela União. O papel subia 0,54%, a R$ 29,80.

Grupo Soma - O grupo de moda Soma, varejista que controla as marcas Animale, Farm, entre outras, confirmou nesta sexta-feira, após notícias veiculadas na imprensa nacional, que está avaliando uma combinação de negócios com a Shoulder, de moda feminina. Os papéis subiam 1,08%, a R$ 14,97.

Tenda (SA:TEND3) - A construtora e incorporadora Tenda encerrou o primeiro trimestre de 2021 com 10 lançamentos com Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 610,3 milhões, alta de 269% na comparação com igual trimestre do ano passado e queda de 31% ante o quarto trimestre. O número representa o melhor primeiro trimestre de lançamentos da história da companhia. Os papéis subiam 0,54%, a R$ 27,79.

MRV (SA:MRVE3) - A construtora MRV registrou volume de R$ 1,71 bilhão em lançamentos no primeiro trimestre deste ano, alta de 58% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a companhia, o indicador representa o melhor desempenho para os primeiros meses do ano de sua história. A ação subia 2,16%, a R$ 18,89.

Lavvi - A Lavvi registrou vendas líquidas de R$ 86,1 milhões no primeiro trimestre, alta de 217,9%. Os papéis subiam 0,91%, a R$ 7,80.

Natura (SA:NTCO3) - A Natura&Co estima receita líquida consolidada entre 47 bilhões e 49 bilhões de reais no ano de 2023, quando a margem Ebitda deve ficar entre 14% a 16%, de acordo com projeções divulgadas pela fabricante de cosméticos à Comissão de Valores Mobiliários nesta sexta-feira. O papel subia 0,38%, a R$ 18,64.

Cruzeiro do Sul - O Conselho de Administração da Cruzeiro do Sul Educacional elegeu Fábio Ferreira Figueiredo e Renato Padovese como co-presidentes da companhia após a renúncia de Hermes Ferreira Figueiredo do cargo. Os papéis caíam 2,11%, a R$ 12,09.

Energisa (SA:ENGI4) - A Energisa informou nesta quinta-feira a criação de um programa de recompra de ações. O programa visa a aquisição de Units para fazer frente às obrigações de programas de concessão de ações. A quantidade máxima de Units a ser adquirida é de até 1,1 milhão, representativas de 1,1 milhão de ações ordinárias e 4,4 milhões de ações preferenciais. Os papéis caíam 0,07%, a R$ 15.

Neoenergia (SA:NEOE3) - A Neoenergia registrou aumento de 6,23% no volume de energia distribuído pelas subsidiárias no primeiro semestre na comparação anual, para 18.508 GWh. Os papéis subiam 0,5%, a R$ 16,07.

Sabesp (SA:SBSP3) - O secretário da Fazenda do governo de São Paulo, Henrique Meirelles, disse nesta quinta-feira que o Estado pretende fazer a privatização da Emae ainda neste ano, deixando para 2022 a capitalização da Sabesp, um processo considerado mais complexo. A ação caía 0,33%, a R$ 42,37.

Telefônica Brasil (SA:VIVT3) - O Conselho de Administração da Telefônica Brasil aprovou a distribuição de R$ 280 milhões em juros sobre capital próprio, ou de R$ 0,16611398457 por ação ordinária. Os papéis subiam 0,05%, a R$ 43,82.

Oi (SA:OIBR3) - A Oi, em recuperação judicial, informou em comunicado nesta quinta-feira que prorrogou para 29 de abril o prazo limite para a subscrição e integralização das debêntures convertidas em ações, conforme fato relevante divulgado em 18 de fevereiro. Os papéis

BR Distribuidora (SA:BRDT3) - Assembleia Geral Ordinária da BR Distribuidora (SA:BRDT3) aprovou o pagamento de R$ 2,31 bilhões em proventos, sendo R$ 498,3 milhões em juros sob capital próprio e R$ 1,81 bilhão em dividendos. A ação caía 0,58%, a R$ 1,72.

Azul (SA:AZUL4) - A gestora de fundos Fidelity Management adquiriu uma fatia de 5,3% das ações preferenciais da Azul. Os papéis da aérea caíam 0,24%, a R$ 37,73.

Multiplan (SA:MULT3) - A Massachusetts Financial Services aumentou a participação na Multiplan para 5,01%, ou 28,2 milhões de ações ordinárias. O papel caía 0,34%, a R$ 23,64.

Com Reuters, Estadão Conteúdo e Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: