Menu
Busca sábado, 23 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Avaliação

Indústria, comércio e serviços mostram indicadores positivos em maio, diz Ipea

Atividade econômica acelera em maio, em resposta ao retorno dos programas de transferência de renda e a estímulos externos

25 junho 2021 - 12h52Por Redação SpaceMoney

Em estudo divulgado nesta sexta-feira (25/6), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que os efeitos da segunda onda da Covid-19 foram menos intensos e com menor duração, se comparados aos da fase inicial da pandemia.

Após a retração verificada em março, comércio e serviços mostraram recuperação já nos meses seguintes. Entre eles, o setor de serviços ainda se encontra abaixo dos níveis anteriores à crise sanitária, devido ao fato de que muitas atividades dependem da interação presencial. O Ipea estima crescimento de 1,3% da receita do setor de serviços no mês de maio.

Apesar da melhora de cenário, a lenta recuperação do mercado de trabalho, principalmente registrada entre os trabalhadores de baixa qualificação, ainda representa uma limitação para o crescimento do consumo de bens e serviços das famílias, especialmente daquelas que se encontram nas faixas de renda mais baixas.

Além da recuperação mais lenta desses postos de trabalho, essas famílias também foram impactadas pela aceleração inflacionária. No entanto, com o retorno de programas de transferência de renda, como o Auxílio Emergencial e o Programa Emergencial de Manutenção de Emprego e Renda (BEm), retomados em abril, o Ipea prevê um aumento de 3,9% na margem para as vendas do comércio em maio, com crescimento interanual de 25,8%.

Outros setores da economia, por sua vez, estão sendo estimulados pela recuperação da economia global, acompanhada pela aceleração dos preços internacionais das commodities e ainda pela desvalorização cambial do real frente ao dólar - que torna os produtos nacionais mais competitivos.

O bom desempenho do agronegócio e das indústrias extrativas impulsionados por esses fatores tem aumentado também a demanda por bens de capital ao longo do primeiro quadrimestre de 2021.

Enquanto as indústrias extrativas têm respondido positivamente à demanda externa, o setor manufatureiro seguiu nos últimos meses um processo de ajustamento dos níveis de estoques, que encerraram 2020 em patamar bastante inferior ao considerado ideal pelos empresários.

Esse fator foi importante para compensar o comportamento da demanda e contribuiu positivamente para o resultado do PIB no primeiro trimestre. O Ipea estima que a produção industrial tenha avançado 1,4% em maio sem efeitos sazonais. O carry-over para o segundo semestre, ainda assim, ficaria em -2,4%.

A rápida recuperação verificada em boa parte dos indicadores de atividade, em resposta à queda ocorrida no mês de março, também se refletiu nos indicadores de confiança dos agentes.

Embora generalizada, esta melhora foi mais intensa entre os empresários, enquanto os consumidores seguem com um sentimento ainda contaminado pelas condições adversas do mercado de trabalho.

Com informações da Assessoria de Imprensa e Comunicação do Ipea.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: