segunda, 16 de maio de 2022
Prévia

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira (12)

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros nesta quinta-feira

12 agosto 2021 - 09h34Por Investing.com

Por Peter Nurse e Ana Julia Mezzadri, da Investing.com - O mercado deve repercutir as agitações políticas de ontem, quando a reforma do imposto de renda deu lugar à reforma eleitoral na pauta da Câmara dos Deputados.

Outro ponto de atenção será a bateria de balanços do segundo trimestre divulgados após o fechamento do mercado ontem.

No exterior, mais regulamentação é apresentada para reduzir o apelo das ações chinesas, enquanto os investidores aguardam mais dados de inflação e emprego nos EUA. Índices de Wall Street estão em níveis recordes à medida que a temporada de balanços se aproxima do fim.

A Agência Internacional de Energia também rebaixou sua perspectiva para a demanda de petróleo devido às preocupações da Covid-19.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros nesta quinta-feira, 12 de agosto:

1. Falta de foco em Brasília e bateria de balanços
A votação da reforma do imposto de renda foi retirada da pauta de votação em meio às pressões de empresários, governadores e prefeitos. Mesmo com mudanças realizadas pelo relator, o texto não agrada.

Em vez disso, a Câmara votou a reforma eleitoral, aprovada sem o modelo de distritão, que alteraria o mecanismo representativo nas eleições, mas com retorno das coligações. As mudanças ainda precisam passar em segundo turno na Câmara.

Devem repercutir, ainda, os balanços de Equatorial (SA:EQTL3), Hapvida (SA:HAPV3), Via (SA:VVAR3), Ultrapar (SA:UGPA3), JBS (SA:JBSS3), Locaweb (SA:LWSA3), MRV (SA:MRVE3), B3 (SA:B3SA3), Suzano (SA:SUZB3) e SulAmérica (SA:SULA11).

Após o fechamento do mercado, será vez de Magazine Luiza (SA:MGLU3), Americanas (SA:AMER3), Lojas Renner (SA:LREN3), BRF (SA:BRFS3), Azul (SA:AZUL4), CCR (SA:CCRO3), CPFL Energia (SA:CPFE3), Rumo (SA:RAIL3), Sabesp (SA:SBSP3) e Cyrela (SA:CYRE3) divulgarem seus números.

2. Ações chinesas perdem apelo
Dada a imprevisibilidade das medidas regulatórias do governo, após suas últimas repressões nos setores de tecnologia, propriedade e educação, investir nos mercados de ações da China tem perdido apelo.

Novas regulações devem vir, já que a liderança do país publicou um documento na quarta-feira onde afirma que a China, em breve, redigirá novas leis sobre segurança nacional, inovação tecnológica, monopólios e educação.

O índice de Xangai, que inclui as 10 maiores empresas da Bolsa de Valores de Shenzhen, está cerca de 1% menor em relação ao mês passado, mas o índice Hang Seng, que costuma ser mais fácil para investidores estrangeiros interagirem, caiu perto de 6%.

Ainda assim, pode haver vantagens de longo prazo se essas novas regulamentações protegerem os dados corporativos e reduzirem as práticas monopolistas.

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, avalia uma viagem à China nos próximos meses. Essa visita marcaria as primeiras negociações econômicas cara a cara com a China sob o governo do presidente Joe Biden.

3. Mais dados sobre a inflação dos EUA
O Federal Reserve (Fed) recebeu um impulso na quarta-feira, uma vez que os preços ao consumidor dos EUA de julho reforçaram sua visão de que as pressões inflacionárias seriam de natureza temporária, já que a leitura do IPC de 0,5% registrou a maior queda no mês-a-mês inflação mensal em 15 meses.

Há mais dados de inflação previstos para quinta-feira, desta vez o índice de preço aos produtores às 9h30. Os analistas esperam que o valor de IPP suba 7,3% em julho sobre o ano passado, inalterado em relação ao mês anterior, que foi o maior aumento anual em mais de 10 anos.

Além da inflação persistentemente mais alta, o Fed também está de olho na recuperação do mercado de trabalho, e os dados semanais de pedidos de auxílio-desemprego também devem ser divulgados na quinta-feira, como de costume.

Espera-se que os pedidos iniciais de benefícios de desemprego caiam em 10.000 para 375.000 na semana passada, depois de cair em 14.000 na semana anterior, mas este lançamento será o primeiro após o número de folhas de pagamento não-agrícola (payroll) mais forte do que o esperado.

4. Wall Street se mantém em patamares recordes
As ações dos EUA devem abrir praticamente inalteradas, perto de níveis recordes, ajudadas pelas expectativas de mais gastos com estímulos e um esfriamento das pressões inflacionárias.

Por volta das 08h58, os futuros do Dow Jones, os futuros do S&P 500 e os futuros do Nasdaq avançavam respectivamente 0,05%, 0,01% e 0,02%. O EWZ, fundo de índice que mede o desempenho das ações brasileiras em Nova York, operava em queda de 0,4% no pré-mercado.

O índice blue-chip Dow Jones Industrial Average avançou 0,6% na terça-feira para fechar com um novo recorde, enquanto o índice amplo S&P 500 subiu 0,2%. O Nasdaq Composite teve um desempenho inferior, caindo apenas 0,1%.

Ajuda o tom a notícia de que o Senado aprovou na quarta-feira um projeto de orçamento de US$ 3,5 trilhões, que abre caminho para uma expansão massiva dos gastos sociais federais.

Isso vem na sequência do acordo de uma conta de infraestrutura de US $ 1 bilhão. Além disso, o arrefecimento da inflação ao consumidor reduziu as expectativas de uma ação antecipada do Federal Reserve para reduzir seu próprio forte estímulo monetário.

Além da contribuição da temporada de balanços do segundo trimestre, próxima do fim, mas ainda há algumas empresas importantes que devem anunciar na quinta-feira.

Walt Disney (NYSE:DIS) (SA:DISB34) deve registrar receita de US$ 16,76 bilhões e LPA de 54 centavos no trimestre após o fechamento.

Além disso, o Airbnb (NASDAQ:ABNB) (SA:AIRB34) deve anunciar uma perda no segundo trimestre, já que o setor de hospitalidade luta para se recuperar da pandemia.

5. Petróleo em baixa com AIE rebaixando sua perspectiva de demanda
Os preços do petróleo caíam com a Agência Internacional de Energia cortar sua previsão de demanda de petróleo para o ano devido à disseminação da variante delta do Covid-19.

Às 9h05, os contratos futuros do petróleo WTI recuavam 0,64%, a US$ 68,81 o barril, enquanto os futuros do petróleo Brent tinham perdas de 0,42%, a US$ 71,14 o barril.

O crescimento da demanda projetado pela AIE seria meio milhão de barris por dia menor na segunda metade do ano em comparação com sua estimativa no mês passado, "já que as novas restrições da Covid-19 impostas em vários países grandes consumidores de petróleo, particularmente na Ásia, parecem definidas para reduzir a mobilidade e o uso de óleo. "

A Opep também está programada para divulgar seu relatório mensal do mercado de petróleo na quinta-feira. O sentimento foi atingido na quarta-feira pelo pedido do presidente dos EUA, Joe Biden, para que os principais produtores de petróleo aumentem a produção para enfrentar o aumento dos preços da gasolina.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, conhecida como Opep+, está em processo de restaurar o corte recorde de produção de 10 milhões de barris por dia adotado nos primeiros dias da pandemia.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content