quarta, 19 de janeiro de 2022
[Square Banner - Mobile Topo 2] [300x250] [mobile] - Assessoria Ipê Investimentos 2022
[SpaceNow Desktop] [200x74] [spacenow] - Melhores oportunidades 2022
[SpaceNow Mobile] [150x74] [spacenow] - Melhores oportunidades 2022
Prévia

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira (19)

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na segunda-feira, 19 de julho

19 julho 2021 - 09h26Por Investing.com
[Billboard Topo 2] [970x250] [pagina-inicial] - Melhores oportunidades 2022

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - O aumento de casos de Covid-19 desencadeou uma onda do sentimento de aversão a risco em todo o mundo, jogando o "Dia da Liberdade" da Inglaterra no caos e empurrando os preços do petróleo bruto para abaixo de US$ 70 o barril.

O presidente Joe Biden acusa o Facebook de matar pessoas com informações incorretas sobre vacinas e a Zoom Video está comprando Five9 por US$ 15 bilhões em ações. IBM , Prologis e JB Hunt divulgam balanços.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na segunda-feira, 19 de julho.

[04] [Square Detalhe Notícia] [300x250] [geral] Melhores investimentos 2022

1. Dólar em alta com elevação de risco
O dólar atingiu seu nível mais alto em relação às principais moedas em mais de três meses, conforme as evidências de uma onda crescente de casos da Covid-19 em todo o mundo continuavam a crescer, lançando dúvidas sobre a sustentabilidade da recuperação global.

O índice do dólar, que acompanha o dólar contra uma cesta de seis moedas, quebrou o nível 93 pela primeira vez desde o início de abril, atingindo uma alta intradiária de 93,047 antes de recuar um pouco para ficar em 92,998, às 08h47 (horário de Brasília), alta de 0,34%.

O dólar também subiu em toda a linha em relação às moedas dos mercados emergentes, com ganhos de mais de 0,5% contra o rand sul-africano e os pesos mexicanos e chilenos, estendendo o risco que começou após recentes sinais de arrefecimento da economia chinesa.

O movimento de eliminação do risco também foi evidente nos mercados de títulos, com o rendimento do Tesouro dos EUA de 10 anos caindo para mínima de cinco meses para 1,232%, baixa de 5,17%.

2. Caos do 'Dia da Liberdade' da Inglaterra
Em nenhum lugar a variante Delta está se espalhando mais rapidamente do que no Reino Unido, onde estragou completamente os planos do primeiro-ministro Boris Johnson para um “Dia da Liberdade”.

Quase todas as restrições oficiais restantes à vida comercial e social na Inglaterra estão sendo suspensas hoje, mas o número de casos está aumentando e a confiança pública está se deteriorando rapidamente. O Reino Unido postou mais de 50.000 novos casos no sábado, no mesmo nível que a Indonésia, que tem sido o ponto principal da pandemia nas últimas semanas (embora as taxas de testes no Reino Unido também sejam muito mais altas do que em muitos países).

O próprio Johnson está sendo forçado a passar a semana em auto-isolamento depois de entrar em contato com o novo Ministro da Saúde, Sajid Javid, que testou positivo na semana passada. Enquanto isso, o aplicativo de rastreamento do Reino Unido está emitindo tantas instruções para isolar-se que o transporte público, supermercados e caminhoneiros estão alertando sobre a falta de pessoal. A libra esterlina caiu para seu nível mais baixo em três meses.

3. Ações definidas para abrir em baixa
Os mercados de ações dos EUA devem abrir em forte queda mais tarde, a onda de sentimento de risco os puxando para mais longe das altas recordes que atingiram na semana passada.

Às 8h51, Dow Jones Futuros, S&P 500 Futuros e Nasdaq Futuros caíam respectivamente 1,35%, 1,1% e 0,89%. O EWZ, ETF que replica o desempenho de ações brasileiras listadas em Nova York, tinha baixa de 1,91%.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem a Zoom Video (NASDAQ:ZM) (SA:Z1OM34), que disse no fim de semana que está comprando o provedor de software em nuvem Five9 (NASDAQ:FIVN) em um negócio envolvendo ações no valor de US$ 15 bilhões, a maior aquisição de todos os tempos.

Divulgarão balanço hoje Prologis (NYSE:PLD) (SA:P1LD34), PPG Industries (NYSE:PPG) (SA:P1PG34) e JB Hunt (NASDAQ:JBHT), enquanto a IBM (NYSE:IBM) (SA:IBMB34) apresentará o resultado após o fechamento do mercado.

Já o Facebook (NASDAQ:FB) (SA:FBOK34) também vai começar a semana com o pé atrás, depois que o presidente Joe Biden acusou o gigante da mídia social de “matar pessoas” ao permitir que antivaxxers espalhem desinformação sobre as vacinas Covid-19 em suas plataformas. Uma pesquisa da YouGov no fim de semana mostrou que metade das pessoas que se recusaram a tomar a vacina acreditava que o governo a está usando para fazer microchip às pessoas.

“A única pandemia que temos está entre os não vacinados. E eles estão matando pessoas”, disse Biden. Seus comentários foram seguidos pelo cirurgião-geral Vivek Murthy no domingo, que criticou repetidamente as "empresas de tecnologia" por não fazerem o suficiente para remover ou sinalizar conteúdo impreciso.

O Facebook resistiu às acusações, que marcou uma nova baixa em suas relações com o Partido Democrata. O senador Ted Cruz liderou uma rodada de contestações contra o governo, acusando-o de tentar sufocar a liberdade de expressão.

4. Acordo de paz da OPEP não deve salvar os preços do petróleo
O preço dos contratos futuros do petróleo WTI caíam abaixo de US$ 70 o barril pela primeira vez em mais de um mês, um dia depois que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos resolveram suas diferenças sobre a política de produção e pavimentaram o caminho para uma série de aumentos graduais da produção pela Opep e seus aliados.

Sob o acordo de paz, o chamado grupo Opep+ aumentará a produção em 400.000 barris por dia todos os meses entre agosto e o final de 2022. Nessa época, terá restaurado toda a produção cortada em resposta a um colapso global demanda no início da pandemia.

Os Emirados Árabes Unidos, por sua vez, garantiram um peso maior no cálculo da participação de mercado entre os membros da OPEP.

O negócio foi visto por muitos analistas como amplamente favorável aos preços e à credibilidade da Opep, mas tais fatores foram superados na segunda-feira pela onda de sentimento de risco que atingiu a maioria das classes de ativos. Os futuros do petróleo Brent caíam 3,49% a US$ 71,00 o barril, enquanto o WTI recuava 3,90% a US$ 68,78.

5. Recesso Legislativo e Focus
No Brasil, tem início nesta semana a temporada de balanços do segundo trimestre, com Neoenergia (SA:NEOE3) e Indústrias Romi (SA:ROMI3) dando a largada na terça-feira (20).

No campo político, a semana promete ser mais leve devido ao recesso do Legislativo. O presidente Jair Bolsonaro, no entanto, terá de tomar a importante decisão de sancionar ou vetar o novo fundão eleitoral, de R$ 5,7 bilhões. As mudanças no texto da reforma tributária seguirão em foco.

Os economistas consultados pelo Banco Central para a edição do Boletim Focus divulgada nesta segunda-feira elevaram as estimativas para a taxa Selic neste ano de 6,63% para 6,75%. Entre as outras projeções, a estimativa do PIB é de 5,27%; o IPCA em 6,31%; e o dólar deve terminar o ano a R$ 5,05.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content