quinta, 19 de maio de 2022
Prévia

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira (15)

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros nesta quinta-feira, 15 de julho

15 julho 2021 - 09h16Por Investing.com

Por Peter Nurse, Geoffrey Smith e Ana Julia Mezzadri, da Investing.com - O crescimento da China desacelerou, mas tornou-se mais equilibrado, no segundo trimestre. Os dados da produção industrial dos EUA para junho serão divulgados, assim como os pedidos iniciais por seguro-desemprego.

Netflix avança com especulações sobre suas ambições para o setor de videogame, e os preços do petróleo enfraquecem com especulações de que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos estão se aproximando de um acordo sobre o aumento da produção.

No Brasil, o foco estará sobre a proposta de LDO enviada pelo governo, que deverá ser votada ainda hoje. Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro segue internado, mas a necessidade de cirurgia foi descartada no momento.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quinta-feira, 15 de julho.

1. Crescimento da China e dia pesado de dados nos EUA
A economia da China cresceu em ritmo menor do que o esperado no segundo trimestre, com o PIB crescendo 7,9% em relação ao mesmo período de 2020, abaixo das expectativas de uma expansão de 8,1%. O aumento dos preços das commodities e novos surtos de Covid-19 pesaram sobre os números.

Ao mesmo tempo, a produção industrial cresceu 8,3% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado, desacelerando em relação ao aumento de 8,8% em maio, enquanto as vendas no varejo aumentaram 12,1% sobre o mesmo período do ano passado, um sinal bem-vindo de reequilíbrio do consumo doméstico.

A economia da China se recuperou rapidamente após a eclosão da pandemia do coronavírus atingido no ano passado, mas dados recentes sugerem que a recuperação está perdendo força.

O Banco do Povo da China cortou as exigências de reserva para seus bancos na semana passada, gerando especulações de que poderia cortar sua taxa básica de juros para empréstimos em um futuro próximo, exatamente quando outros bancos centrais estão pensando em abandonar suas medidas de estímulo da era pandêmica.

Nos EUA, hoje é um dia pesado de dados, com números semanais de pedidos iniciais por seguro-desemprego e dados de produção industrial de junho no topo da conta. Os pedidos iniciais de benefícios, com divulgação às 9:30, devem ter diminuído para 360.000 de 373.000 na semana anterior. Tal desenvolvimento fortaleceria as suspeitas de que a melhora no mercado de trabalho está desacelerando.

Os dados da produção industrial às 10h15 serão analisados para buscar sinais de progresso na questão dos gargalos da cadeia de abastecimento, que parecem ter sido um fator importante por trás do salto na inflação dos preços ao produtor neste ano. O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, retorna ao Capitólio para o segundo dia de seu depoimento semestral, desta vez enfrentando o painel bancário do Senado.

No primeiro dia de sua apresentação, Powell reiterou que as atuais pressões inflacionárias, embora mais fortes do que ele esperava, provavelmente ainda moderariam em breve e que era muito cedo para reduzir o poderoso suporte monetário do banco central para a economia. É improvável que Powell se desvie muito da substância dessas observações durante o segundo dia de seu depoimento.

2. Bolsonaro, reforma tributária e LDO
Por aqui, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) segue internado em São Paulo, mas a necessidade de uma cirurgia foi descartada no momento.

Na frente da reforma tributária, o relator, o deputado Celso Sabino (PSDB-PA), afirmou que pode ampliar a isenção de tributação de dividendos para todas as empresas, mas que a faixa seria reduzida para R$ 2.500 por mês, o que deve causar impacto negativo de mais R$ 3 bilhões por ano na arrecadação, mas reduzir o risco de pejotização.

Recebe mais atenção, porém, o projeto que altera a LDO para permitir a criação de um novo programa social, tido como um Bolsa Família ampliado, enviado pelo governo. A perspectiva, segundo o presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL) e do Senado Rodrigo Pacheco (DEM-MG), é votar a proposta hoje para que o Congresso possa entrar em recesso na semana que vem.

3. Ações em baixa; Netflix em foco
As ações dos EUA devem abrir em baixa na quinta-feira, com os investidores se preparando para mais divulgação de mais balanços, bem como para a divulgação de dados importantes sobre o mercado de trabalho.

Às 08h46, Dow Jones futuros, S&P 500 futuros e Nasdaq 100 futuros caíam respectivamente 0,43%, 0,31% e 0,01%. O EWZ, fundo de índice que replica o Ibovespa em Wall Street, operava estável na pré-abertura.

Morgan Stanley (NYSE:MS) (SA:MSBR34) será o último dos principais bancos a divulgar os resultados trimestrais posteriormente. Até agora, todos os grandes credores dos EUA relataram uma recuperação nos lucros, embora alguns também tenham relatado uma atividade de empréstimo lenta, uma vez que as famílias com fluxo de estímulo continuaram a tomar menos empréstimos.

São também esperados balanços de empresas como U.S. Bancorp (NYSE:USB) (SA:USBC34), UnitedHealth (NYSE:UNH) (SA:UNHH34), Cintas (NASDAQ:CTAS) (SA:C1TA34) e Progressive (NYSE:PGR) (SA:P1GR34).

As ações da Netflix (NASDAQ:NFLX) (SA:NFLX34) também estarão em destaque, já que uma recente contratação reforçou as esperanças de que ela incorporará videogames em seu serviço de streaming.

4. Criptomoedas se estabilizam após o golpe de Powell; Binance banida na Itália
As criptomoedas se estabilizaram um pouco durante a madrugada, mas voltaram a cair nesta manhã. Os ativos digitais estão sob pressão depois que o presidente do Fed, Jerome Powell, expressou abertura à ideia de criar um dólar digital.

Em seu depoimento, Powell endossou aproximadamente os argumentos avançados por outros no Fed, como Lael Brainard, de que uma moeda digital oficial poderia trazer melhorias significativas no manuseio de transações, sem o risco latente de volatilidade de criptomoedas privadas e as chamadas stablecoins.

Às 08h52, o Bitcoin recuava 1,78% a US$ 31.857, enquanto Ethereum caía 1,83% a US$ 1.907,57 (que perde mais da metade de seu valor desde o pico de dois meses atrás) e Dogecoin tinha perdas de 3,38% para 19c.

Em outro lugar, o regulador financeiro da Itália se tornou o último a alertar de que a exchange Binance não tem licença para operar em sua jurisdição.

5. Petróleo cai com aumento dos estoques dos EUA e Opep+
Os preços do petróleo bruto enfraquecem na quinta-feira, devido a um aumento inesperado nos estoques de gasolina dos EUA, bem como rumores de que a Opep+ está se aproximando de um acordo sobre o aumento dos níveis de produção.

Às 08h55, os contratos futuros do petróleo WTI recuavam 1,85%, a US$ 71,78 o barril, enquanto os futuros do Brent caíam 1,58%, a US$ 73,58 o barril.

A Administração de Informação de Energia relatou na quarta-feira uma oitava queda semanal consecutiva nos estoques de petróleo dos EUA, mas o mercado foi surpreendido por um aumento nos estoques de gasolina na semana passada, especialmente durante a alta temporada de veículos.

Somando-se à pressão, havia relatos de que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos estavam perto de resolver o impasse que impediu um grupo de grandes produtores, conhecido como Opep+, de abastecer o mercado global com a produção adicional necessária para equilibrar a crescente demanda como economias reabrir após o encerramento da pandemia.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content