Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Prévia

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira (14)

Veja o que está movimentando os mercados nesta segunda-feira, 14 de junho

14 junho 2021 - 09h35Por Investing.com

Por Peter Nurse e Ana Carolina Siedschlag, da Investing.com - São Paulo antecipa cronograma de vacinação, enquanto o Reino Unido deve adiar o cronograma de reabertura final da economia.

A União Europeia planeja lançar um bônus de recuperação de 10 anos e o Bitcoin sobe para a máxima de duas semanas com os comentários de Elon Musk.

Aqui está o que está movimentando os mercados em segunda-feira, 14 de junho.

1. Vacinação antecipada em SP
O governador de São Paulo, João Doria Jr., anunciou neste domingo (13) a antecipação do calendário de vacinação contra Covid-19, prevendo agora que toda a população acima de 18 anos no Estado receberá a primeira dose de imunizantes contra a doença até 15 de setembro.

Enquanto isso, o Brasil registrou neste domingo 1.129 novos óbitos em decorrência da Covid-19, o que eleva o total de vítimas fatais da doença no país a 487.401, informou o Ministério da Saúde. Também foram contabilizados, de acordo com a pasta, 37.948 novos casos de coronavírus, com o total de infecções no país avançando para 17.412.766.

Já o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse na sexta-feira (11) que estão sendo realizados estudos para se ter "posições sólidas" sobre a possibilidade de flexibilização do uso de máscaras contra Covid-19, conforme havia pedido o presidente Jair Bolsonaro na véspera.

Queiroga também informou, no sábado, que o Brasil receberá na terça-feira 3 milhões de doses da vacina contra Covid-19 da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson (NYSE:JNJ) (SA:JNJB34), que serão aplicadas apenas nas capitais do país.

2. Reino Unido prepara golpe de reabertura
A confiança tem crescido na maioria das democracias ocidentais de que o pior da pandemia Covid-19 pode ter passado, à medida que os países reabrem com base nos programas de vacinação acelerados.

No entanto, esse otimismo pode receber um golpe nesta segunda com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, previsto para discutir a retirada completa das restrições no país em 21 de junho. E isso em um país que tem obtido muito sucesso na vacinação de sua população.

O ponto é que os presságios não são bons, pois a rápida disseminação da variante Delta, oficialmente uma "variante de preocupação", colocou esses planos em risco.

O total de casos britânicos da variante Delta, identificada pela primeira vez na Índia, saltou de 29.892 para 42.323, disse a Public Health England na sexta-feira, acrescentando que a variante atualmente é responsável por mais de 90% dos novos casos Covid-19.

3. Ações em alta; de olho no Fed e no Banco Central
As ações dos EUA devem abrir ligeiramente em alta nesta segunda, perto dos níveis recordes antes da reunião do Federal Reserve desta semana, ansiosamente esperada. O Banco Central do Brasil também revela a decisão de política monetária no mesmo dia.

Às 9h07, os futuros do Dow Jones caía 0,07%, enquanto o S&P 500 e do Nasdaq 100 subiam respectivamente 0,04% e 0,32%. Já o EWZ, ETF que replica o Ibovespa em Nova York, avançava 0,55% na pré-abertura em Wall Street.

A reunião de política do Fed provavelmente limitará as atividades no início da semana. O banco central não deve tomar nenhuma medida, mas os investidores se concentrarão no comunicado após a reunião de política econômica de dois dias, em meio a temores que os recentes saltos da inflação possam pressionar o banco central a começar a reduzir seu estímulo mais cedo do que o esperado.

A Tesla (SA:TSLA34) (NASDAQ:TSLA) deve estar no centro das atenções depois que o CEO Elon Musk tweetou no fim de semana que a fabricante de carros elétricos retomará as transações de bitcoin assim que confirmar que há um uso razoável de energia limpa pelos mineradoras da moeda digital.

4. UE se prepara para venda de títulos de 10 anos
O Banco Central Europeu deve manter as políticas monetárias acomodativas em vigor até que haja sinais claros de que uma recuperação está em andamento, apontou a presidente da autarquia, Christine Lagarde, em uma entrevista ao site Politico.

“Precisamos realmente ancorar a recuperação. Sempre falamos em ancorar a inflação e não nos esquecemos disso. Mas a recuperação precisa ser firme, sólida e sustentável", disse.

Com isso em mente, a Reuters informou que a União Europeia contratou bancos para uma venda de títulos de 10 anos, o primeiro a financiar seu fundo de recuperação, um passo crucial para a recuperação econômica do bloco.

A venda será lançada na terça-feira, sujeita às condições do mercado, disse a Reuters, e é o início de até 800 bilhões de euros em emissão de dívida que vai apoiar concessões e empréstimos aos Estados membros - um ato sem precedentes de solidariedade fiscal por parte da UE que pode transformá-lo num importante mutuário europeu.

5. Petróleo perto da máxima de vários anos; viagens aéreas se recuperam
Os preços do petróleo bruto subiam, negociando perto das máximas de vários anos com a melhor perspectiva para a demanda, uma vez que o aumento da vacinação de Covid-19 empurrou as viagens globais de volta à normalidade.

Às 9h10, o WTI avançava 0,69% para US$ 71,50 o barril, subindo para seu nível mais alto desde outubro de 2018, e em curso para um quinto avanço trimestral, que seria a melhor corrida desde 2010. Já o petróleo Brent subia 0,83% a US$ 73,27, em torno do valor mais alto desde maio de 2019.

Ambos os contratos registraram ganhos de mais de 1% na semana passada, a terceira semana positiva consecutiva.

Os viajantes aéreos diários dos EUA ultrapassaram 2 milhões pela primeira vez desde o início da pandemia, com o tráfego retornando aos níveis pré-pandêmicos na América do Norte e em grande parte da Europa, à medida que bloqueios e outras restrições estão sendo amenizados.

Dito isso, a Agência Internacional de Energia previu na semana passada que a demanda global de petróleo se recuperará aos níveis pré-pandêmicos no final do próximo ano, em linha com uma previsão otimista da Organização dos Países Exportadores de Petróleo de que a demanda em 2021 aumentaria 5,95 milhões de barris por dia, um aumento de 6,6% em relação ao ano anterior.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: