Menu
Busca segunda, 25 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
3.004,3 GWh

Energisa registra queda de 3,7% no consumo de energia em fevereiro

Segundo a empresa, o resultado está diretamente relacionado à queda da atividade econômica devido ao aumento das restrições adotadas no combate à pandemia

26 março 2021 - 11h21Por Investing.com

Por Ana Carolina Siedschlag, da Investing.com - O consumo consolidado de energia elétrica pelo sistema livre nas áreas de concessão da Energisa (SA:ENGI4) atingiu 3.004,3 GWh em fevereiro, redução de 3,7% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Segundo a empresa, o resultado está diretamente relacionado à queda da atividade econômica devido ao aumento das restrições adotadas no combate à pandemia.

Em documento divulgado nesta sexta-feira (26), a empresa apontou que o consumo da classe rural cresceu 0,4%, ou 1,1 GWh, impulsionado pelos resultados nas áreas de concessão da EPB, que cresceu diante do baixo volume pluviométrico, influenciando no maior uso de sistemas de irrigação, da ETO, com destaque para a produção de arroz e ovos, da EMG e da ENF, resultado da base baixa de comparação em fevereiro de 2020 por conta do elevado volume de chuvas, que prejudicou a agricultura local.

Já na classe comercial, a companhia registrou redução de 13,8%, influenciada pelo efeito calendário e pelas medidas restritivas.

O consumo da classe residencial recuou 2,7%, diante da base alta em fevereiro de 2020 e uma combinação de temperaturas mais amenas com menos dias no mês.

A classe industrial também recuou 1%, com a principal queda vindo da ESE, impactada sobretudo pelas indústrias de gás natural e concreto.

Em seguida vem a ESS, afetada pela queda no setor automotivo, devido ao forte impacto da pandemia no segmento; da EPB, motivada principalmente pela indústria de mineração, que vem diminuindo o consumo desde 2020; pela ERO e pela EAC, influenciadas pelo setor alimentício.

Por outro lado, apresentaram alta na classe industrial a EMT, com destaque para minerais não metálicos, a EMS, sobretudo o setor de metalurgia, e a EMG, influenciada pelo setor de mineração.

Perto das 11h22, os papéis da Energisa caíam 1,80%, a R$ 7,08, com queda acumulada de 0,13% nos últimos trinta dias e alta de 22% nas últimas 52 semanas.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: