Menu
Busca segunda, 25 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Destaques do dia

Destaques: Trump sanciona estímulo e ações sobem

28 dezembro 2020 - 09h33Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - O presidente Donald Trump sanciona o pacote de ajuda pelo coronavírus como lei, empurrando os futuros de ações para cima e o dólar para baixo. A China intensifica sua campanha regulatória contra o império empresarial do fundador do Alibaba , Jack Ma, e o rali da libra esterlina perde força enquanto o mercado percebe as limitações do acordo de livre comércio firmado na semana passada com a UE.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na segunda-feira, 28 de dezembro.

1. Trump assina pacote de estímulo

O presidente Donald Trump sancionou a lei do pacote de US$ 900 bilhões de medidas de alívio pelo coronavírus acordado antes do Natal pelo Congresso.

Trump inicialmente se recusou a assinar o projeto de lei, por causa de suas objeções às provisões de gastos em um projeto de lei separado que mantém o governo financiado nos próximos meses. Ambos os projetos foram aprovados no Congresso por maioria grande o suficiente para anular um veto presidencial, no entanto.

A Câmara dos Representantes deve votar mais tarde o aumento dos pagamentos diretos às famílias para US$ 2.000, dos US$ 600 previstos no projeto de lei de estímulo. Embora os democratas da Câmara tenham sinalizado que apoiarão esse projeto, é provável que seja bloqueado pelo Senado controlado pelos republicanos, que se reunirá na terça-feira.

2. PBoC intensifica campanha contra o império empresarial de Ma

As ações do Alibaba Group Holding (HK:9988) em Hong Kong caíram mais 8% durante a noite, depois de o banco central chinês lançar um novo ataque contra sua afiliada de serviços financeiros Ant Group.

Pan Gongsheng, vice-governador do Banco Popular da China, acusou o grupo de "falhas regulatórias" em comentários publicados no site do PBoC no domingo. Pan disse que o grupo deveria “retificar” suas operações de crédito ao consumidor e gestão de patrimônio, que operam com margens de lucro muito maiores do que seu negócio de pagamentos principal.

Os comentários aumentam a evidência de uma campanha orquestrada por Pequim para restringir a riqueza e a influência do fundador do Alibaba, Jack Ma. Os reguladores antitruste chineses lançaram uma investigação sobre as operações da gigante do comércio eletrônico na semana passada, fazendo com que suas ações caíssem 13% em Nova York (NYSE:BABA) na sexta-feira.

3. Ações em alta, dólar em baixa enquanto a ação de Trump apoia o apetite pelo risco

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em alta mais tarde, em resposta à reviravolta do presidente Trump no projeto de estímulo.

Às 9h35 (horário de Brasília), os futuros do Dow Jones subiam 0,52%, enquanto o S&P 500 futuros subia 0,68% e os futuros do Nasdaq subiam 0,26% .

O acordo de divórcio entre o Reino Unido e a UE também está apoiando o sentimento de risco em outros ativos, evitando o pior cenário na fronteira, uma vez que os acordos de transição pós-Brexit expiram esta semana.

O Índice Dólar, que acompanha o dólar contra uma cesta de moedas da economia desenvolvida, reduziu as perdas noturnas para subir 0,4% a 90,36, enquanto o rendimento do Tesouro de 10 anos subiu para 0,95%.

4. Rali da libra perde força

A recuperação da libra esterlina perdeu fôlego quando se deu conta de que o acordo de livre comércio fechado na semana passada ainda deixa muitas questões de longo prazo sobre as relações entre o Reino Unido e a UE sem resposta.

Tanto a libra esterlina quanto o euro subiram depois que os dois lados fecharam um acordo que, pelo menos por enquanto, garante que não haverá tarifas ou cotas na grande maioria do comércio de mercadorias.

No entanto, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, reconheceu que o acordo não garante um acesso duradouro ao mercado único da UE para o setor de serviços financeiros, que gera mais de 10% do produto interno bruto do Reino Unido.

Às 9h35 (horário de Brasília), a libra caía 0,45% para US$ 1,3488. Também caía 0,51% em relação ao euro, a 1,1053.

O euro tinha um desempenho melhor, caindo 0,01% para US$ 1,2203, enquanto o índice DAX alemão, dominado por exportadores, atingiu a maior alta de todos os tempos no início do pregão.

5. Futuros do gás natural caem para a baixa de 3 meses

Os preços do gás natural nos EUA caíam mais 8%, já que as previsões do tempo continuaram sem mostrar sinais de um período de frio prolongado.

O contrato do primeiro mês caiu para US$ 2,31 por mmBtu, o menor valor desde o início de setembro.

O clima excepcionalmente quente está chegando em um momento em que os níveis de armazenamento de gás natural ainda estão acima de suas médias históricas. Os últimos estoques da EIA estavam mais de 5% acima do nível do ano anterior e da média de cinco anos.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: