Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Destaques do dia

Destaques: Reunião do BCE e Brexit

10 dezembro 2020 - 09h28Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - O Banco Central Europeu deve anunciar novos estímulos monetários, a FDA, órgão regulador americano, deve aprovar a vacina contra a Covid-19 da Pfizer , pedidos de seguro-desemprego e dados de inflação no radar, AirBnB começa a negociar após o segundo grande IPO em dois dias e o Brexit pode ser negociado por mais quatro dias.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quinta-feira, 10 de dezembro.

1. BCE deve expandir o PEPP

O Banco Central Europeu deve fornecer novos estímulos monetários na reunião do conselho desta quinta-feira. O banco anunciará suas decisões às 9h45, horário de Brasília, e a presidente Christine Lagarde dará sua entrevista coletiva regular 45 minutos depois.

Os analistas esperam que o banco aumente o tamanho do principal Programa de Compras de Emergência da Pandemia em 500 bilhões de euros e estenda o cronograma das operações em mais seis meses até o final do próximo ano. Empréstimos de longo prazo mais baratos, conhecidos como TLTROs, também estão no radar, embora o banco não deva cortar sua taxa de depósito oficial, atualmente em um piso recorde de -0,5%.

As ações, que foram quase anunciadas na última reunião do BCE, são uma resposta à desaceleração da economia da Zona do Euro sob a segunda onda da pandemia de Covid-19.

2. Seguro-desemprego e IPC no radar

Os EUA divulgarão os números semanais de pedidos iniciais por seguro-desemprego, em um momento em que o Congresso ainda está lutando para fazer algum progresso no pacote de alívio fiscal - principalmente devido a divergências sobre o aumento dos benefícios de desemprego.

Os analistas esperam que os pedidos iniciais aumentem para 725.000 de 712.000 na semana passada, o que representaria outra semana de destruição de empregos em grande escala devido à pandemia. As reivindicações contínuas também devem mostrar sinais de continuação, com apenas uma queda modesta para 5,335 milhões.

Também às 10h30 serão divulgados os números da inflação ao consumidor dos EUA, que devem mostrar que a taxa oficial ficou em 1,6% em novembro. Os analistas estarão observando de perto a evolução dos preços dos alimentos, que ganharam importância nos gastos dos consumidores este ano.

3. Índices devem abrir mistos com impasse em pacote

Os índices americanos devem abrir sem muita animação, enquanto as negociações continuam no Capitólio sobre um pacote de estímulo.

O Dow Jones Futuros avançava 0,03%, enquanto o S&P 500 Futuros e o Nasdaq 100 Futuros caíam, respectivamente, 0,11% e 0,38%.

Todos os três índices terminaram com perdas na quarta-feira, com o Nasdaq caindo quase 2%, à medida que os investidores abriam espaço para dois novos estreantes no mercado em suas carteiras.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem Facebook (NASDAQ:FB), que foi atingido por um novo processo antitruste na quarta-feira em relação às aquisições do Instagram e WhatsApp, e Pfizer (NYSE:PFE), cuja vacina Covid-19 está definida para ser aprovada para uso de emergência por um comitê do FDA.

4. AirBnB estreia após IPO massivo da DoorDash

No entanto, a maioria dos olhos deve estar voltada para o desempenho do Airbnb (NASDAQ:ABNB), que fixou o preço de seu IPO na noite passada em US$ 68 por ação, mais de 12% acima do limite superior da faixa que já havia sido aumentada.

Isso coloca a receita total do IPO em US$ 3,7 bilhões e avalia a startup de aluguéis em US$ 47 bilhões.

No início da quarta-feira, as ações da Doordash (NYSE:DASH) fecharam com alta de 86% em sua estreia no mercado, após um período de marketing igualmente agitado.

O forte desempenho de ambos os IPOs é, de certa forma, paradoxal. A DoorDash é uma aposta na pandemia que interrompeu e acelerou o desenvolvimento do negócio de entrega de restaurantes e refeições para sempre. O AirBnB é, em contraste, uma aposta no mercado de viagens que está se recuperando fortemente de um episódio que deixará apenas cicatrizes temporárias. Provavelmente existem maneiras de ambos terem sucesso simultaneamente, mas ainda assim...

5. Brexit pode apanhar por mais quatro dias 

Boris Johnson e Ursula von der Leyen deram aos seus negociadores mais quatro dias para superar as diferenças ainda amplas sobre questões-chave como direitos de pesca, ajuda estatal e resolução de disputas, depois de não conseguirem fazer qualquer progresso visível nas conversas pessoais na quarta-feira.

A libra caiu ainda mais para US$ 1,3306 às 8h30 e agora está 2% abaixo das máximas da semana passada, quando os mercados estavam mais dispostos a ouvir rumores sobre um negócio sendo iminente.

Von der Leyen deve informar os líderes sobre as negociações em uma reunião de cúpula que começa na quinta-feira. Apesar da decepção com o Brexit, a UE deve fechar um acordo com seu próprio orçamento de 1,8 trilhão de euros para os próximos cinco anos, junto com um acordo sobre seu proposto Fundo de Recuperação de 750 bilhões. Ambos foram retidos por uma disputa com a Polônia e a Hungria sobre o Estado de Direito.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: