sexta, 24 de maio de 2024
SpaceMercado

Copel (CPLE6), Eletrobras (ELET3)(ELET6) e Petrobras (PETR3)(PETR4): destaques corporativos (4)

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

04 maio 2023 - 16h52Por Redação SpaceMoney

Ambipar (AMBP3), Americanas (AMER3), Copel (CPLE6), Eletrobras (ELET3)(ELET6) e Petrobras (PETR3)(PETR4) protagonizam o noticiário corporativo desta quinta-feira (4).

 

Leia mais: Vale (VALE3) e as ações mais recomendadas da semana de 2 a 5 de maio

 

SpaceMercado

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Balanços

Assaí (ASAI3), Bradesco (BBDC4), Braskem (BRKM5), CCR (CCRO3), Cemig (CMIG4), Eletrobras (ELET3) e Via (VIIA3), entre outras empresas, divulgarão seus respectivos balanços financeiros do primeiro trimestre após o fechamento dos mercados.

 

Veja os últimos números:

 

Ambev (ABEV3) - A Ambev (ABEV3) registrou um lucro líquido consolidado de R$ 3,819 bilhões no primeiro trimestre, um crescimento de 8,2% em um ano.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 6,444 bilhões.

A receita líquida foi de R$ 20,531 bilhões entre janeiro e março.

 

Banco Pan (BPAN4) - O Banco Pan (BPAN4) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 193 milhões no primeiro trimestre deste ano, um declínio de 1% na base de comparação anual.

 

CSN (CSNA3) - A CSN (CSNA3) registrou um prejuízo líquido de R$ 823 milhões no primeiro trimestre, uma reversão ao lucro líquido de R$ 1,36 bilhão alcançado no mesmo intervalo do ano anterior.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 3,203 bilhões no período, uma redução de 32% na mesma base de comparação.

 

CSN Mineração (CMIN3) - A CSN Mineração (CMIN3) registrou um lucro líquido de R$ 515,8 milhões no primeiro trimestre, queda de 30% em um ano.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 2,018 bilhões, queda de 16% em relação a igual intervalo de 2022.

 

Dexco (DXCO3) - A Dexco (DXCO3) registrou um lucro líquido de R$ 154,3 milhões no primeiro trimestre, uma queda de 31% na base de comparação anual.

 

EDP (ENBR3) - A EDP (ENBR3) registrou um lucro líquido de R$ 486,8 milhões no primeiro trimestre deste ano, queda de 6,9% em relação a igual intervalo de 2022. 

Entre janeiro e março, a receita operacional líquida da companhia foi de R$ 3,745 bilhões, crescimento de 1,0% em relação ao mesmo intervalo de 2022.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 1,308 bilhão. 

 

Eletromídia (ELMD3) - A Eletromidia (ELMD3) registrou um prejuízo líquido de R$ 11,2 milhões no primeiro trimestre, redução de perdas líquidas de 10% em um ano.

 

Embraer (EMBR3) - A Embraer (EMBR3) registrou um prejuízo líquido de R$ 378 milhões no primeiro trimestre. Em igual período do ano passado, as perdas líquidas foram de R$ 165 milhões.

O prejuízo líquido ajustado da companhia foi de R$ 466,9 milhões.

 

GPA (PCAR3) - O Grupo Pão de Açúcar - GPA (PCAR3) registrou um prejuízo líquido consolidado das operações de R$ 248 milhões no primeiro trimestre. No mesmo período do ano passado, houve lucro líquido consolidado de R$ 1,4 bilhão. 

O prejuízo líquido atribuído aos controladores somou R$ 269 milhões entre janeiro e março, expansão de 245% em relação às perdas de igual intervalo do ano anterior.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado caiu 0,1% na mesma base de comparação, a R$ 224 milhões.

 

Lojas Quero-Quero (LJQQ3) - A Lojas Quero Quero (LJQQ3) registrou um prejuízo líquido de R$ 22,4 milhões no primeiro trimestre, uma alta de 117,8% em relação às perdas de igual intervalo do ano passado (R$ 10,3 milhões).

 

Lojas Renner (LREN3) - A Lojas Renner (LREN3) registrou um lucro líquido de R$ 46,8 milhões entre janeiro e março deste ano, uma queda de 75,6% em um ano. 

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) total ajustado somou R$ 251,8 milhões, um declínio de 34,3% na mesma base de comparação.

 

Mercado Livre (MELI34) - O Mercado Livre (MELI34) encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de US$ 201,4 milhões, 208,5% acima do apresentado um ano antes.

No período, sua receita total alcançou US$ 3 bilhões na América Latina, crescimento de 58,4%, em moeda constante, e de 35,1% em dólar na comparação com o mesmo período do ano passado.

(O Estado de S.Paulo)

 

Neogrid (NGRD3) - A Neogrid (NGRD3) registrou um lucro líquido de R$ 3,47 milhões no primeiro trimestre deste ano, queda de 11,7% na base de comparação anual.

 

Ômega (MEGA3) - A Ômega (MEGA3) registrou um prejuízo líquido de R$ 84 milhões no primeiro trimestre, queda de 12% sobre a perda líquida do mesmo período de 2022.

 

Prio (PRIO3) - A Prio (PRIO3) registrou um lucro líquido de US$ 231,3 milhões no primeiro trimestre, alta de 1% na base de comparação anual.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou US$ 352,1 milhões no período, cifra 56% superior a alcançada em igual intervalo de 2022.

A receita total foi de US$ 564,7 milhões, crescimento de 82% na comparação anual.

 

Simpar (SIMH3) - A holding Simpar (SIMH3) registrou um lucro líquido de R$ 76,9 milhões no primeiro trimestre deste ano, queda de 76,6% em relação ao registrado em igual intervalo de 2022. 

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 1,96 bilhão, expansão de 29,8% na mesma base de comparação anual.

 

Taesa (TAEE11) - A Taesa (TAEE11) registrou um lucro líquido regulatório de R$ 215 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma expansão de 47,3% em relação ao obtido um ano antes.

O lucro líquido IFRS somou R$ 386 milhões, queda de 30,9% na mesma base de comparação.

 

Tegma (TGMA3) - A Tegma (TGMA3) registrou um lucro líquido de R$ 34,5 milhões no primeiro trimestre, alta de 84,4% em um ano.

 

Tenda (TEND3) - A Tenda (TEND3) registrou um prejuízo líquido consolidado de R$ 41,9 milhões no primeiro trimestre.

 

Ultrapar (UGPA3) - A Ultrapar (UGPA3) registrou um lucro líquido de R$ 274 milhões no primeiro trimestre, uma queda de 67,0% em doze meses.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado recorrente das operações continuadas foi de R$ 1,023 bilhão, uma expansão de 17,0% em um ano.

A receita líquida total somou R$ 30,5 bilhões, queda de 10% na mesma base de comparação.

 

Informe corporativo

Ambev (ABEV3) - O diretor financeiro da Ambev (ABEV3), Lucas Lira, disse que a empresa espera ampliar sua geração de caixa no restante deste ano. O executivo falou na teleconferência de resultados da companhia, que divulgou o balanço do primeiro trimestre de 2023 nesta quinta-feira (04).

O diretor-presidente da companhia, Jean Jereissati, destacou que o crescimento de 24,4% do EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi o maior desde o primeiro trimestre de 2009.

 

 

Ambipar (AMBP3) - A Ambipar (AMBP3) anunciou a quinta emissão de debêntures, no valor total de R$ 300 milhões.

Títulos não são conversíveis em ações, são da espécie quirografária, com garantia adicional fidejussória, em série única, com valor nominal unitário de R$ 1 mil.

A fiança foi prestada pela subsidiária Environmental ESG. 

A oferta destina-se exclusivamente a investidores profissionais. De acordo com a empresa, os títulos foram objeto da oferta, a qual foi realizada em regime de garantia firme, a ser prestada pelo coordenador-líder, com relação a totalidade das debêntures.

(Eu Quero Investir)

 

Americanas (AMER3) - A Americanas (AMER3) informou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que seu processo de recuperação judicial ainda se encontra “na fase de verificação administrativa dos créditos” e segue como previsto.

A companhia ressaltou ainda que o prazo para apresentação da lista de credores pela administração judicial conjunta termina em 31 de maio.

(Valor)

 

Banco do Brasil (BBAS3) - A Fundação ArcelorMittal fez uma parceria com a Fundação Banco do Brasil para ampliar a Liga Steam, um programa de educação baseado em uma abordagem que integra os ensinos de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática. 

(Valor)

 

CEEE-G - A Companhia Florestal Brasileira, controladora de CEEE-G, protocolou a oferta pública de aquisição de ações (OPA) da geradora junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), com o intuito de mudar o registro da companhia como companhia aberta na autarquia, da categoria “A” para a categoria “B”.

 

Copel (CPLE6) e Itaú (ITUB4) - A Companhia Paranaense de Energia (Copel)(CPLE6) anunciou que recebeu do Estado do Paraná, acionista controlador da empresa, atualizações referentes ao acordo para a liberação das ações para a transformação da companhia em uma corporação, conforme noticiado no mês passado.

De acordo com o Estado do Paraná, foi comunicado que o Itaú (ITUB4) invejou ofício ao Bradesco (BBDC4), escriturador das ações da companhia paraense, para liberar ações no montante suficiente para a eventual oferta pública de distribuição secundária relativa à transformação da Copel em companhia de capital disperso e sem acionista controladora, a ser realizado durante o exercício deste ano.

(Valor)
 

 

Eletrobras (ELET3)(ELET6) - A Eletronorte, controlada da Eletrobras (ELET3)(ELET6), foi notificada pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) para suspender toda e qualquer atividade nas terras indígenas Canabrava e Guajajara, Rodeador, Lagoa Comprida e Urucu e Juruá, bem como licenças já concedidas ao empreendimento Linha de Transmissão 500kV Tucuruí/Marabá/Imperatriz/Presidente Dutra.

 

Inepar (INEP3)(INEP4) - A Inepar (INEP3)(INEP4) recebeu um ofício da B3 (B3SA3) sobre a deliberação da proposta de grupamento das ações em valor igual ou superior a R$ 1,00 por unidade.

Foi prorrogado para o dia 15 de maio o prazo concedido para enquadramento da cotação das ações da companhia em valor igual ou superior a R$ 1,00 por unidade.

 

Klabin (KLABIN11) - Os preços de papel e celulose se deterioraram no primeiro trimestre de 2023, conforme mostram os balanços de empresas do setor. E para o 2º trimestre, o cenário não deve mudar.

“O mercado vem se deteriorando desde o primeiro trimestre, com mais intensidade no segundo trimestre, principalmente na China, onde a gente sofreu queda mais abrupta de preço, dado o contexto de demanda mais reprimida, entrada de novas capacidades e toda a questão macroeconômica impactando aumento de custos de forma geral – com a pressão inflacionária”, disse Alexandre Nicoline, diretor de negócios de celulose da Klabin (KLABIN11), durante teleconferência de resultados, sobre os resultados do primeiro trimestre.

As informações são do InfoMoney. 

 

Light (LIGT3) - De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, o bilionário Nelson Tanure estaria disposto a aumentar a participação acionária acima de 5% na Light (LIGT3), após comprar ações da empresa de energia. 

 

Lojas Renner (LREN3) - A Lojas Renner (LREN3) divulga, em complemento às projeções constantes do formulário de referência, as seguintes projeções financeiras e operacionais:

 

Mater Dei (MATD3) - Diogo Porto Dias renunciou ao cargo de diretor da Mater Dei (MATD3), e, com isso, passa a ocupar somente o cargo de membro do conselho de administração.

 

Petrobras (PETR3)(PETR4) - A Petrobras (PETR3)(PETR4) encerrou o primeiro trimestre com uma produção média comercial de 2,352 milhões de barris diários de óleo equivalente (BOE) de petróleo e gás natural, queda de 4,5% na comparação comum ano atrás.

Em relação ao trimestre anterior, houve alta de 1,2%, segundo relatório de produção da companhia.

(O Estado de S.Paulo)

 

A estatal anunciou a criação de um grupo de trabalho com a China Energy International para analisar oportunidades de negócios conjuntas, com foco aos segmentos de geração de energia renovável e produção de hidrogênio verde.

 

Taesa (TAEE11) - A Taesa (TAEE11) energizou o trecho LT Livramento 3 – Santa Maria 3 e SE Santa Maria 3 do empreendimento Sant’Ana, um empreendimento do lote 12, do leilão de transmissão nº 004/2018, realizado em dezembro de 2018.

 

Vibra (VBBR3) - O presidente da Vibra (VBBR3)(ex-BR Distribuidora), Ernesto Pousada, afirmou que a empresa está tranquila sobre o arrendamento da marca Petrobras (PETR3)(PETR4) nos postos de abastecimento da companhia.

O executivo destacou que a empresa, maior distribuidora de combustível do país, tem uma relação “madura” e um “ótimo relacionamento” com a petrolífera.

(Valor)

 

SpaceCriptos

Criptomoedas hoje: Bitcoin (BTC) aos US$ 29,2 mil, com PacWest, juros dos EUA e Coinbase no radar

 

SpaceDicas

Ambipar (AMBP3) e as melhores micro caps para investir em maio de 2023

As ações mais recomendadas para maio de 2023

As melhores ações para ganhar dividendos em maio de 2023

Cielo (CIEL3) e as melhores small caps para investir em maio de 2023

Mercado Livre (MELI34) e os melhores BDRs para investir em maio de 2023

Veja aqui as ações ESG mais recomendadas para maio, de acordo com BB, Genial e XP

Veja os melhores FIIs para investir em maio de 2023

 

Comgás (CGAS5), IGB (IGBR3), Unipar (UNIP5) e as ações mais caras da B3 no início de maio

Marisa (AMAR3), Méliuz (CASH3), Saraiva (SLED4) e as ações mais baratas da B3 no início de maio

 

Assaí (ASAI3), Natura (NTCO3) e mais: o que fazer com as ações do Ibovespa que mais caíram em abril

EzTec (EZTC3), BTG (BPAC11) e mais: o que fazer com as ações do Ibovespa que mais subiram em abril

 

SpaceFIIs

Ifix hoje: FIIs com DY de até 13,76% em doze meses pagam cotistas nesta quinta-feira (4)

 

SpaceProventos

Dividendos: Petrobras (PETR3)(PETR4) pode pagar até US$ 6 bi sobre o 1º tri, dizem analistas

 

A CSN Mineração vai realizar a distribuição de R$ 1,8 bilhão em dividendos e em juros sobre o capital próprio (JCP), informou a companhia na última quarta-feira (3).

Do montante, R$ 1.550.000.000,00 serão distribuídos em dividendos intermediários à conta de reserva de lucros, o correspondente ao valor de R$ 0,28257142280 por ação.

R$ 279.433.501,04 serão pagos em juros sobre o capital próprio, o correspondente ao valor de R$ 0,05094188514 por ação - à exceção dos acionistas imunes e isentos, este valor encontra-se sujeito à incidência de imposto de renda na fonte à alíquota de 15%.

Créditos serão efetuados em 17 de maio e contemplarão acionistas com posição no papel na próxima segunda-feira, 8 de maio.

A partir da sessão seguinte, 9 de maio, as ações passarão a ser negociadas ex-direitos.

 

Em continuidade aos avisos aos acionistas divulgados em 28 de abril de 2023 e 23 de dezembro de 2022, estarão disponíveis, a partir da mesma data (17 de maio), sem atualização monetária, aos acionistas residentes no Brasil, o saldo a pagar dos dividendos declarados na assembleia-geral ordinária (AGO) realizada na última sexta-feira, 28 de abril:

  • - R$ 631.912.324,35, aos acionistas com ações em 28 de abril de 2023; e
  • - juros sobre capital próprio (JCP) no valor de R$ 87.724.362,47, conforme aprovado e declarado em reunião do conselho de administração realizada em 23 de dezembro de 2022, aos acionistas com ações em 28 de dezembro de 2022. 

 

No total, R$ 2.549.070.187,86 serão distribuídos a partir da segunda quinzena de maio.

 

A CSN (CSNA3) vai realizar a distribuição de R$ 2.314.000,00 - juros sobre o capital próprio (JCP) declarados pelo conselho de administração em reunião realizada em 23 de dezembro de 2022, no valor de R$ 700 milhões, e dividendos declarados pela assembleia-geral ordinária (AGO) da última sexta-feira, 28 de abril, no montante total de R$ 1.614.000.000,00.

Os juros sobre o capital próprio serão calculados e creditados com base nas posições dos acionistas em 28 de dezembro de 2022 e correspondem a R$ 0,44868615934 por ação.

Os dividendos serão calculados e creditados com base nas posições dos acionistas em 28 de abril de 2023 e correspondem a R$ 1,21710833810 por ação.

 

A Irani (RANI3) vai distribuir R$ 20.376.177,00 em dividendos intercalares, o correspondente a R$ 0,0843634412 por ação ordinária. 

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão da próxima segunda-feira, 8 de maio.

Pagamentos serão efetuados até 31 de maio.

 

Em assembleia-geral ordinária (AGO) realizada na última sexta-feira, 28 de abril, acionistas de Dasa (DASA3) ratificaram a deliberação de seu conselho de administração, em 20 de dezembro de 2022, e posteriormente retificada em 28 de março, que aprovou a proposta de pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor de R$ 54 milhões.

Proventos serão pagos, sem qualquer atualização monetária ou remuneração, até o dia 31 de dezembro de 2023. 

Farão jus aos créditos acionistas detentores de ações na data-base de 26 de dezembro de 2022.

 

Na próxima segunda-feira, 8 de maio, a Vittia (VITT3) vai realizar o pagamento da segunda parcela de juros sobre o capital próprio (JCP), no valor de R$ 13.455.340,58 - o correspondente a R$ 0,094542792 por ação. 

O montante, somado aos R$ 20.000.000,00 pagos em 4 de janeiro, totaliza R$ 33.455.340,58, ou R$ 0,235071070 por ação, referentes a dividendos obrigatórios. 

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão de 16 de dezembro de 2022.

 

Em assembleia-geral ordinária e extraordinária (AGOE), acionistas da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (COELBA), cujas ações são negociadas pelos códigos CEEB3, CEEB5 e CEEB6, em razão aos resultados apurados em 31 de dezembro de 2022, aprovaram a declaração de dividendos, no valor de R$ 218.701.843,25, correspondentes a:

- R$ 0,8088566689 por ação ordinária (CEEB3); 
- R$ 0,8088566689 por ação preferencial classe A (CEEB5); e 
- R$ 0,8897423358 por ação preferencial classe B (CEEB6).


Pagamentos serão efetuados a partir desta quinta-feira, 4 de maio, sem atualização monetária, com base na posição acionária de 18 de abril. Desde o dia 19 de abril, as ações passaram a ser negociadas ex-direitos.

 

A Unipar (UNIP6) realiza a distribuição de dividendos adicionais no valor de R$ 109,4 milhões, deduzidos dos valores já antecipados em 2022.

R$ 35,7 milhões serão destinados ao pagamento de dividendos aos titulares de ações ordinárias, correspondente a R$ 0,99203303763 por ação ordinária.

Já a quantia de R$ 2.420.582,64 refere-se ao pagamento de dividendos aos titulares de ações preferenciais classe “A”, correspondente a R$ 1,09123634139 por ação preferencial classe “A”.

R$ 71,2 milhões serão pagos em dividendos aos titulares de ações preferenciais classe “B”, correspondente a R$ 1,09123634139 por ação preferencial classe “B”.

Os dividendos adicionais destinados à conta de reserva de investimentos soma R$ 82,9 milhões.

R$ 27 milhões serão destinados ao pagamento de dividendos aos titulares de ações ordinárias, correspondente a R$ 0,75052931800 por ação ordinária;

R$ 2 milhões serão destinados ao pagamento de dividendos aos titulares de ações preferenciais classe “A”, correspondente a R$ 0,89325258420 por ação preferencial classe “A”.

R$ 53,9 milhões serão pagos em dividendos aos titulares de ações preferenciais classe “B”, correspondente a R$ 0,82558224980 por ação preferencial classe “B”.

Farão jus aos dividendos adicionais referidos acima os detentores de ações da Unipar no dia 20 de abril.

Pagamentos serão realizados a partir desta quinta-feira, 4 de maio, sem remuneração ou atualização monetária.

As ações passaram a ser negociadas ex-direitos no dia 24 de abril na B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão.

 

Em assembleia-geral ordinária (AGO) realizada na última quinta-feira (27), acionistas de Taesa (TAEE11) aprovararam a destinação do lucro líquido do exercício de 2022.

O montante total de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) aprovado sobre o resultado do exercício de 2022 foi de R$ 1.244.759.611,50, dos quais:

  • - (i) R$ 353.958.594,59 foram pagos em 2022, a título de dividendos intercalares;
  • - (ii) R$ 404.752.894,90 foram pagos em 2022, a título de juros sobre o capital próprio;
  • - (iii) R$ 460.000.000,06 foram pagos em janeiro de 2023, a título de dividendos intercalares; e
  • - (iv) R$ 26.048.121,95 a título de dividendos mínimos obrigatórios remanescentes, que serão pagos até o dia 31 de dezembro.

 

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão da última quarta-feira, 3 de maio.

A partir desta quinta-feira, 4 de maio, as ações passarão a ser negociadas “ex-direitos”.

 

Na quinta-feira passada (27), a Cielo (CIEL3) anunciou que vai realizar o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no montante total de R$ 196.210.000,00, o equivalente a R$ 0,07288994650 em valor final por ação.

Os créditos serão distribuídos no dia 18 de maio e contemplarão acionistas inscritos com posição em base nesta quinta-feira, 4 de maio.

O valor final por ação dos JCP a serem pagos foi definida em R$ 0,07288994650. 

As ações serão negociadas ex-juros sobre capital próprio a partir de amanhã, 5 de maio.

 

Na quinta-feira passada (27), em assembleia-geral ordinária (AGO), a SLC Agrícola (SLCE3) vai pagar R$ 601.925.75,21 em dividendos. Destes, R$ 70.999.746,37 já foram distribuídos antecipadamente.

Portanto, créditos pendentes somam R$ 530.926.011,85, o equivalente a R$ 2,59718105 por ação ordinária - excluídas da contabilidade os papéis desta classe em tesouraria. 

Farão jus aos proventos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão desta quinta-feira, 4 de maio. As ações passarão a ser negociadas “ex-direitos” amanhã, 5 de maio. 

Pagamentos serão efetuados no dia 18 de maio.

 

Na última sexta-feira (28), em assembleia-geral, acionistas de Auren (AURE3) aprovaram a distribuição de dividendos obrigatórios e adicionais relativos ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2022 no valor de R$ 1,5 bilhão.

Do valor total, R$ 635,1 milhões são dividendos obrigatórios e R$ 864,8 milhões serão distribuídos como dividendos adicionais.

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão desta quinta-feira, 4 de maio.

Pagamentos serão efetuados em parcela única no dia 15 de maio deste ano.

 

SpaceRecomendações

Banco Pan (BPAN4): Bradesco BBI se mantém neutro sobre ação

CSN (CSNA3) ou Gerdau (GGBR4)? Confira a preferida do Bradesco BBI

CSN Mineração (CMIN3): Bradesco BBI projeta dividendos robustos, com rendimento de 15% em 2023

Eletromidia (ELMD3): Itaú BBA destaca ação como preferida entre as techs do Brasil

Embraer (EMBR3): tensão entre governo federal e Boeing derruba ações

GPA (PCAR3): Genial cita melhora sequencial da operação no 1º tri de 2023

Lojas Quero-Quero (LJQQ3): compre mesmo após prejuízo saltar 118%, indica BTG

Lojas Renner (LREN3): Itaú BBA elogia projeções após balanço fraco

Mercado Livre (MELI34) despenca 7%: É hora de comprar?

Prio (PRIO3): compre agora! Vem mais resultados bons à frente, diz XP

Taesa (TAEE11) continua como bom player para dividendos, diz Safra

Tegma (TGMA3): Itaú BBA vê potencial de alta no EBITDA da empresa

Tenda (TEND3) dispara 10%: Santander destaca resultados acima das expectativas

Simpar (SIMH3): Genial Investimentos projeta alta de mais de 80% na ação

Ultrapar (UGPA3): ações têm valuation atraente, diz Goldman Sachs

 

SpaceTrade

Day Trade: compre Klabin (KLBN11), Suzano (SUZB3) e mais 4 ações hoje, indicam Ágora e PagBank

Day Trade: venda GPA (PCAR3), Magazine Luiza (MGLU3) e mais 4 ações hoje, indicam Ágora e PagBank