quarta, 22 de maio de 2024
SpaceMercado

Destaques (18): EDP Brasil (ENBR3), Neoenergia (NEOE3), Petrobras (PETR3)(PETR4) e Usiminas (USIM5)

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

18 julho 2023 - 16h58Por Redação SpaceMoney
ww - Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

EDP Brasil (ENBR3), Neoenergia (NEOE3), Petrobras (PETR3)(PETR4) e Usiminas (USIM5) protagonizam o noticiário corporativo desta terça-feira (18).

 

SpaceMercado

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Alliança Saúde (AALR3)

A Alliança Saúde e Participações (AARL3), ex-Alliar, informou que a secretaria de estado de saúde de Rondônia publicou a homologação da concessão administrativa no âmbito de uma Parceria Público-Privada (PPP).

De acordo com o site Finance News, em junho, a empresa divulgou que a proposta apresentada por consórcio integrado majoritariamente pela companhia foi reconhecida como a melhor no âmbito do processo licitatório para PPP voltada à operação do Heuro Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal – Rondônia. 

As informações são do site Finance News.

 

Americanas (AMER3)

A Americanas (AMER3) informou não ter recebido anuência da PwC até a última segunda-feira, 17 de julho, para trocar auditoria independente.

 

Aura (AURA33)

A Aura Minerals (AURA33) elevou seu orçamento à faixa entre US$ 22 milhões e US$ 26 milhões para investimentos neste ano, enquanto projeta 110.000 metros de sondagem diamantada adicional.

 

Azul (AZUL4)

A agência de classificação de risco S&P Global elevou rating da Azul (AZUL4) de default seletivo para B-, com perspectiva estável.

 

Banco Pine (PINE4)

O Banco Pine (PINE4) vai pagar juros sobre o capital próprio no valor total de R$ 18.448.422,55. A quantia corresponde a R$ 0,10063392712521 por cada ação ordinária e cada ação preferencial em termos brutos.

Créditos serão efetuados no dia 10 de agosto e contemplarão investidores posicionados em base acionária no dia 31 de julho.

 

BB Seguridade (BBSE3)

Os prêmios emitidos do seguro de vida de BB Seguridade (BBSE3) recuaram 2,30% na comparação com maio de 2022, diante da queda nos prêmios de renovações, parcialmente compensada pela melhora em vendas novas e cancelamento.

O seguro prestamista cresceu 10,40% em prêmios emitidos no comparativo, com desempenho explicado pela evolução das vendas em função do aumento da penetração no crédito.

Já as emissões do segmento rural cresceram 14,70%, efeito decorrente do bom desempenho em todas as linhas de negócio (agrícola +11,60%, penhor +16,30% e vida produtor rural +17,00%), explicado em grande parte pela liberação de recursos controlados para complemento da safra 2022-2023.

Em maio, as contribuições cresceram 7,00% na comparação com o mesmo mês de 2022, considerado o aumento da quantidade de planos vendidos no comparativo e maior ticket médio das contribuições esporádicas.

O volume de arrecadação em maio avançou 40,30% em relação ao mesmo mês de 2022, desempenho impulsionado tanto pela evolução das vendas de títulos de pagamento único como pelo maior ticket médio dos títulos mensais.

 

Biomm (BIOM3)

O conselho de administração de Biomm (BIOM3) aprovou um aumento de seu capital social em valores no mínimo de R$ 35.000.000,64 e no máximo de R$ 45.000.000,00.

Valores serão alcançados, por meio de emissão em subscrição privada, de, no mínimo, 6.076.389 ações ordinárias (ON), e, no máximo, 7.812.500 ações ordinárias (ON), todas escriturais e sem valor nominal.

Cada 1 nova ação ordinária subscrita no aumento de capital vai dar aos subscritores o direito a 1 bônus de subscrição.

Cada bônus de subscrição, por sua vez, confere a seu titular o direito de subscrever 1 ação ordinária da companhia.

Caso a totalidade dos bônus de subscrição seja exercida por seus titulares, serão emitidas 7.812.500 novas ações ordinárias, todas escriturais e sem valor nominal.

O preço de emissão por ação foi fixado em R$ 5,76.

A operação visa fortalecer a estrutura de capital, reforçar caixa para honrar obrigações, fazer frente às necessidades de capital de giro e viabilizar o desenvolvimento de estratégia de crescimento.

 

Caixa Seguridade (CXSE3)

A Caixa Seguridade (CXSE3) apresentou crescimento de 10,90% no segmento de seguros em relação a maio de 2022, com destaque para o aumento de 25,90% na emissão de prêmios dos seguros Residencial e 13,70% em Vida.

No segmento de acumulação, as arrecadações acumuladas de capitalização até o mês de maio apresentaram crescimento de 180,30% em relação ao mesmo período de 2022 e as reservas de previdência atingiram saldo de R$ 141,8 bilhões.

 

EDP Brasil (ENBR3)

A EDP Brasil (ENBR3) vai investir R$ 530 milhões em projetos de geração de energia solar e transmissão em Goiás (GO) nos próximos quatro anos.

Do valor, R$ 325 milhões serão destinados à construção de onze usinas fotovoltaicas que vão operar, em sua maioria, na modalidade de geração distribuída (GD), que devem ficar prontas até 2024.

O segmento de transmissão vai receber R$ 200 milhões, que serão direcionados para a ampliação, modernização e aumento de capacidade em sete subestações.

As informações são do site Bom Dia Mercado.

 

Enjoei (ENJU3)

A Enjoei (ENJU3) adquiriu a totalidade das quotas de emissão da J.Q.A.S.P.E. Empreendimentos e Participações, sociedade detentora da totalidade das quotas de emissão da Elo7 Serviços de Informática (Grupo Elo7). 

 

Fras-le (FRAS3)

A Fras-le (FRAS3) vai pagar juros sobre o capital próprio (JCP) no valor de R$ 64.529.572,60 em termos brutos. O valor corresponde a R$ 0,241669 por ação, que, em termos líquidos, cai a R$ 0,20542 por ação.

Pagamentos serão efetuados no dia 14 de agosto.

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária na próxima quinta-feira, 20 de julho.

 

Helbor (HBOR3)

A Helbor (HBOR3) registrou vendas brutas totais de R$ 367,0 milhões no segundo trimestre, uma alta de 14% em relação ao reportado no indicador doze meses atrás. 

No acumulado do ano, as vendas brutas totais foram de R$ 721,0 milhões - R$ 691,0 milhões correspondentes a venda de unidades prontas e em construção.

As vendas líquidas de distratos somaram R$ 337,6 milhões entre abril e junho. Nenhum lançamento foi realizado no período.

A velocidade de vendas medida pelo indicador (VSO) total foi de 12,2%, 1,8 p.p. acima do VSO apresentado no mesmo período do ano anterior.

 

JBS (JBSS3)

A JBS (JBSS3) retomou as atividades da unidade industrial da Friboi localizada em Juara, no Mato Grosso (MT), na última segunda-feira, 17 de julho.

Em comunicado à imprensa, o frigorífico declarou que as operações começam de maneira escalonada, com processamento de 300 cabeças em um primeiro momento.

A empresa realizou uma previsão de expansão gradual até atingir a capacidade máxima de 700 animais.

A fábrica tem habilitações para atender importantes mercados no exterior, informou a companhia.

As informações são de Reuters.

 

Light (LIGT3)

Nesta terça-feira (18), acionistas da Light (LIGT3) elegeram em assembleia uma nova composição do conselho de administração da companhia, com nove membros e quatro novos nomes, entre eles o empresário Nelson Tanure. 

O novo conselho, com mandato até abril de 2025, aumentou de sete para nove integrantes. Os novos nomes que integram as cadeiras são Nelson Tanure, Hélio Costa, Pedro de Moraes Borba e Wendell Oliveira.

 

Marisa (AMAR3)

A Marisa (AMAR3) irá receber um aporte de R$ 30 milhões, segundo informações do Portal Pipeline. A  injeção dos recursos faz parte de uma revisão financeira da varejista em conjunto com seu braço financeiro, a MBank. Já a MCartões está passando para ser uma prestadora de serviços de adquirência. Por sua vez, a MPagamentos, está se concentrando a partir de agora em financiar compras dos clientes.

(Informações do Pipeline) 

 

Neoenergia (NEOE3)

A Neoenergia (NEOE3) informou que seu conselho de administração aprovou a renovação do mandato de sua diretoria executiva por mais três anos, a partir de 23 de agosto.

Abaixo a composição atual:

 

Petrobras (PETR3)(PETR4)

i. O novo plano estratégico da Petrobras (PETR3)(PETR4) para o período de 2024 a 2028 deve prever um aporte semelhante ao atual, de cerca de US$ 78 bilhões, e teria como novidade um olhar para a transição energética, declarou o presidente da estatal, Jean Paul Prates.

“Não deve diferir muito porque de um ano para o outro não pode fazer muitos movimentos”, disse, em uma entrevista exclusiva à Reuters, sem adiantar números.

 

ii. No sábado, 15 de julho, a Petrobras (PETR3)(PETR4) encerrou seu 1º Plano de Recompra de Debêntures, iniciado na mesma data do ano passado.

No âmbito do programa, foram readquiridos um total de 244.334 debêntures de sua emissão, entre os papéis da 5ª, 6ª e 7ª emissão, equivalentes a 3,0% da quantidade total de debêntures em circulação.

Todos os títulos foram adquiridos no mercado secundário, com os preços de mercado como referência.

O valor da operação não foi revelado.

 

Porto (PSSA3)

A Porto (PSSA3) registrou um crescimento de 11,5% nos prêmios de Auto em maio, na comparação anual vs. +14,6% do mercado (ex-Porto). 

A sinistralidade do Auto avançou 8,30 p.p., em doze meses.

O segmento Patrimonial + Transportes cresceu 26,6% em prêmios, na comparação com o mesmo mês de 2022, ao passo que a sinistralidade foi apurada em 33,4% no quinto mês deste ano.

No segmento Vida, houve alta de 17,5% em prêmios e sinistralidade de 35,5%.

 

Prio (PRIO3)

Na segunda-feira, 17 de julho, a Prio (PRIO3) informou que iniciou a produção do poço ODP5 (F23P3) no Campo de Frade, inicialmente produzindo de forma estabilizada 8 mil barris de óleo por dia. 

Segundo o fato relevante divulgado, a companhia superou a marca de 100 mil barris por dia. 

A empresa informou ainda que durante a execução da Campanha de Revitalização original do Campo de Frade foram coletadas informações geológicas, que estão servindo de material para viabilizar a realização de uma terceira fase da campanha de redesenvolvimento.

Os próximos passos ainda estão sob avaliação. 

O poço OPD5 foi o primeiro da nova fase anunciada pela Prio, antecipado em quase um ano sobre o planejado, com custos em linha com os anteriores para construção e conexão subsea. 

Além disso, a produção está posicionada no mesmo reservatório do poço ODP4, o primeiro produtor desta campanha. 

 

Romi (ROMI3)

Nesta terça-feira, 18 de julho, após o fechamento dos mercados, a Romi (ROMI3) inicia a temporada de balanços referente ao segundo trimestre deste ano.

 

Telefônica Brasil (VIVT3)

i. Em 15 de fevereiro, a Telefônica Brasil (VIVT3), dona da Vivo, havia informado que realizaria o pagamento de cerca de R$ 3,902 bilhões em dividendos e em juros sobre o capital próprio (JCP).

Do montante, R$ 1.826.731.361,37 serão pagos nesta terça-feira, 18 de julho - R$ 1 bilhão em dividendos e mais R$ 826.731.361,37 em dividendos adicionais.

 

O valor de R$ 1 bilhão foi declarado em dezembro passado e farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão de 29 de dezembro de 2022. 

A quantia corresponde a R$ 0,60112166983 em termos brutos e a R$ 0,60112166983 em termos líquidos.

 

O valor de R$ 826.731.361,37 foi declarado em abril deste ano e farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão de 13 de abril.

A quantia corresponde a R$ 0,49696613645 em termos brutos e a R$ 0,49696613645 em termos líquidos.

 

ii. A Telefônica Brasil (VIVT3), dona da Vivo, vai pagar juros sobre o capital próprio (JCP) de R$ 405 milhões em termos brutos. O montante equivale a R$ 0,24422941213 por ação.

Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão de 31 de julho.

Pagamentos serão efetuados, até, no máximo, o dia 30 de abril de 2024. A data vai ser definidamente oportunamente pela diretoria.

 

Trisul (TRIS3)

Na segunda-feira, 17 de julho, a Trisul (TRIS3) divulgou suas prévias operacionais do segundo trimestre de 2023. As vendas líquidas totalizaram R$ 331,1 milhões no período, uma alta de 61,5% na comparação trimestral. 

No acumulado do ano, as vendas líquidas somaram R$ 662,4 milhões, um aumento de 100,6% no ano. 

Já os lançamentos da companhia somaram R$ 217,1 milhões em VGV (valor geral de vendas) no segundo trimestre. 

As vendas brutas totais ficaram em R$ 359 milhões no período, uma alta de 58,5% em relação ao primeiro trimestre de 2023. 

No acumulado do ano, as vendas brutas registraram R$ 711,6 milhões, um aumento de 87,7% na base anual de comparação. 

 

Usiminas (USIM5)

O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) propôs uma ação civil pública contra a Usiminas (USIM5).

O órgão estipulou o valor de R$ 346,7 milhões para reparação de dano moral coletivo em função da emissão de poluentes atmosféricos produzidos pelas operações da unidade de Ipatinga, no Vale do Aço, no interior mineiro.

As informações são do site Bom Dia Mercado (BDM) e do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o Broadcast.

De acordo com o MP-MG, as partículas sedimentáveis (chamadas popularmente de pó preto) provocam incômodo e sofrimento aos moradores do município há décadas.

A unidade localizada na região desponta como a principal produtora de aço bruto, e somou 2,7 milhões de toneladas em 2022.

Ainda segundo o MP-MG, um relatório técnico da Gerência de Monitoramento da Qualidade do Ar e Emissões (Gesar) da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e relatórios de automonitoramento da própria Usiminas demonstram que a sedimentação de partículas descumpre os padrões especificados por lei.

Procurada pela reportagem do Broadcast, a empresa não se manifestou.

As informações são do site Bom Dia Mercado (BDM) e do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o Broadcast.