Menu
Busca quinta, 21 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Criptomoedas

Bitcoin oscila novamente, boom de blockchain mantém o alvo de US$ 100 mil

O Bitcoin caiu 6%, para US$ 36.115

28 maio 2021 - 18h51Por Investing.com

Por Yasin Ebrahim, do Investing.com - As oscilações violentas no Bitcoin continuaram na sexta-feira (28), mas a atividade de negócios na blockchain nunca foi melhor e, eventualmente, ajudará a dissipar as nuvens de medo, incerteza e dúvida, impulsionando a popular criptomoeda para US$ 100.000 no final do ano.

O Bitcoin caiu 6%, para US$ 36.115.

“Espero ver US$ 100.000 neste ano... Deveríamos estar próximos desse nível já com base no ciclo de halvening, mas não estamos lá porque há narrativas confusas [incluindo regulamentação] que ainda não foram resolvidas”, disse Michael Venuto, diretor de investimentos da Toroso Investments, em uma entrevista para o Investing.com.

"A recente ação do preço no BTC se acalmará porque a parte comercial disso, a parte em que Bitcoin, outras criptomoedas e finanças descentralizadas estão sendo usados para revolucionar as finanças, está em melhor forma do que nunca", acrescentou Venuto.

Um evento de halvening - que reduz pela metade o número de Bitcoins em circulação - ocorre aproximadamente a cada quatro anos. Os eventos de halvening em 2012 e 2016 precederam os ralis anteriores do BTC.

O evento de halvening, em maio do ano passado, ajudou a trazer o foco para a narrativa da oferta e da demanda. Uma rápida olhada em onde estamos no ciclo atual sugere que há muito espaço para o Bitcoin subir.

"Com base no ciclo de halvening, oferta e demanda e no sentimento do varejo, não acho que estamos em qualquer lugar perto do fim do rali", disse Venuto.

Durante a recente liquidação, os investidores menores e novatos, em uma dieta de negociação de alavancagem e ganância, foram amplamente sinalizados para a venda em pânico, adicionando combustível ao lado negativo. Mas os fundos de hedge e as instituições também foram apanhados pelo medo de perder, ou a febre do FOMO, que acabou forçando-os a vender.

A regulação, ou a falta dela, pode ter algo a ver com as apostas institucionais de baixa.

Ao contrário dos investidores de varejo, as instituições normalmente não têm permissão para comprar Bitcoin diretamente em exchanges ou mantê-lo em uma carteira.

Muitos veem um ETF de Bitcoin nos EUA como uma solução para preencher a lacuna. Mas é improvável que isso aconteça tão cedo, mesmo com um presidente da SEC que tem um forte domínio de tecnologias de blockchain.

“Estamos em um mundo onde as leis que regem a forma como tratamos os instrumentos financeiros foram escritas em 1940 e 1933”, disse Venuto. “O governo dos EUA precisa fazer uma declaração muito mais ampla sobre o que o Bitcoin significa para eles e se deve ou não estar sujeito a essas leis de valores mobiliários.”

As preocupações com o impacto ambiental da mineração de BTC também contribuíram para azedar o sentimento institucional sobre o Bitcoin, em uma narrativa que ganhou crédito na esteira do CEO da Tesla (NASDAQ:TSLA) (SA:TSLA34) nas últimas semanas.

“Foi precipitado pelo movimento ESG e esta noção, que foi exacerbada por Elon Musk, de que existem alguns problemas ambientais reais com a mineração de Bitcoin”, disse Cathie Wood, fundadora da ARK Investment Management, na conferência Consensus 2021 da CoinDesk.

Mas a ideia de que o Bitcoin é uma criptomoeda suja - dada a energia usada para minerar os blocos na blockchain - é um pouco inadequada, pelo menos nos EUA, já que a maioria dos “mineradores americanos usa energia limpa e renovável", disse Venuto.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: