terça, 28 de maio de 2024
SpaceMercado

Balanços: BB (BBAS3), BRF (BRFS3), Cosan (CSAN3), Gafisa (GFSA3), Rede D'Or (RDOR3) e mais

Veja os últimos números da temporada de balanços relativos ao primeiro trimestre deste ano

16 maio 2023 - 10h40Por Lucas de Andrade

Com o fim da temporada de balanços relativos ao primeiro trimestre deste ano, empresas como Banco do Brasil (BBAS3), Cosan (CSAN3), Gafisa (GFSA3) e Hapvida (HAPV3) divulgaram seus números entre a noite de segunda-feira (15) e a manhã desta terça-feira (16).

 

Veja os últimos resultados:

 

Aliansce Sonae (ALSO3) - A Aliansce Sonae (ALSO3) registrou um lucro líquido de R$ 2,974 bilhões no primeiro trimestre deste ano, uma expansão de 5.580,9% em relação aos ganhos apurados em igual período de 2022.

A forte alta justifica-se por um ganho contábil, no valor de R$ 4,4 bilhões, decorrente da fusão entre a operadora e a BrMalls.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), em critério ajustado, somou R$ 436,3 milhões, um avanço de 10,8% na base de comparação anual. 

 

Alphaville (AVLL3) - A Alphaville (AVLL3) registrou um prejuízo líquido de R$ 57 milhões no primeiro trimestre.

 

Ambipar (AMBP3) - A Ambipar (AMBP3) registrou um prejuízo líquido de R$ 110,9 milhões no primeiro trimestre.

 

Ânima (ANIM3) - A Ânima (ANIM3) registrou um prejuízo líquido de R$ 41,3 milhões no primeiro trimestre.

 

Banco do Brasil (BBAS3) - O Banco do Brasil (BBAS3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 8,2 bilhões no primeiro trimestre deste ano, uma expansão de 22,8% em relação aos ganhos apurados em igual intervalo de 2022 (R$ 6,6 bilhões).

 

BRF (BRFS3) - A BRF (BRFS3) registrou um prejuízo líquido de R$ 1,024 bilhão no primeiro trimestre deste ano, queda de 35,2% em relação às perdas líquidas de R$ 1,58 bilhão apuradas em igual intervalo de 2022.

 

Celesc (CLSC3)(CLSC4) - A Celesc (CLSC4) registrou um lucro líquido de R$ 218 milhões no primeiro trimestre.

 

ClearSale (CLSA3) - A ClearSale (CLSA3) registrou um prejuízo líquido ajustado recorrente de R$ 13,5 milhões no primeiro trimestre.

 

Cosan (CSAN3) - A Cosan (CSAN3) registrou um prejuízo líquido de R$ 904,1 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma reversão ao lucro líquido de R$ 510,2 milhões apurado em igual intervalo de 2022.

 

Cruzeiro do Sul (CSED3) - A Cruzeiro do Sul (CSED3) registrou um lucro líquido de R$ 12,1 milhões no primeiro trimestre deste ano.

 

Desktop (DESK3) - A Desktop (DESK3) registrou um lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 18 milhões, avanço de 146,6% em um ano.

 

Dotz (DOTZ3) - A Dotz (DOTZ3) registrou um prejuízo líquido de R$ 15,5 milhões no primeiro trimestre deste ano, um arrefecimento em relação às perdas de R$ 16,7 milhões apuradas em igual período de 2022.

 

Eneva (ENEV3) - A Eneva (ENEV3) registrou lucro líquido de R$ 223 milhões no primeiro trimestre deste ano, alta de 21% em doze meses.

 

Espaçolaser (ESPA3) - A Espaçolaser (ESPA3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 10,92 milhões no primeiro trimestre.

 

Even (EVEN3) - A Even (EVEN3) registrou um lucro líquido de R$ 54,7 milhões no primeiro trimestre.

 

Gafisa (GFSA3) - A Gafisa (GFSA3) registrou um prejuízo líquido de R$ 34,02 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma reversão ao lucro líquido de R$ 115 mil apurado em igual período de 2022.

 

Hapvida (HAPV3) - A Hapvida (HAPV3) registrou um prejuízo líquido de R$ 341,6 milhões no primeiro trimestre deste ano.

 

Hermes Pardini (PARD3) - O grupo Hermes Pardini (PARD3) registrou um lucro líquido de R$ 38 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma retração de 40% em relação aos ganhos de igual intervalo de 2022.

 

IRB (IRBR3) - O IRB (IRBR3) registrou um lucro líquido de R$ 8,55 milhões no primeiro trimestre, queda de 89,4% em relação aos ganhos apurados em igual intervalo de 2022, com um peso do acordo de US$ 5 milhões feito junto ao United States Justice Department (DoJ).

 

Itaúsa (ITSA4) - A Itaúsa (ITSA4) registrou lucro líquido de R$ 2,8 bilhões no primeiro trimestre deste ano, uma redução de 25% em relação ao apurado em igual período de 2022. 

 

JHSF (JHSF3) - A JHSF (JHSF3) registrou um lucro líquido de R$ 86,9 milhões no primeiro trimestre, uma queda de 47,8% em doze meses.

 

Kora Saúde (KRSA3) - A Kora Saúde (KRSA3) registrou um lucro líquido de R$ 3,2 milhões no primeiro trimestre.

 

Localiza (RENT3) - A Localiza (RENT3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 604,6 milhões no primeiro trimestre, uma retração de 19,0% na base de comparação anual.

Já o EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado somou R$ 2,6 bilhões.

 

Magazine Luiza (MGLU3) - O Magazine Luiza (MGLU3) registrou um prejuízo líquido ajustado de R$ 309,4 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma retração em relação às perdas líquidas de R$ 98,8 milhões reportadas em igual intervalo de 2022.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 324,1 milhões, uma queda de 4,5% em doze meses.

A receita líquida foi de R$ 9,067 bilhões, uma expansão de 3,5% em comparação ao período entre janeiro e março retrasados.

 

Marfrig (MRFG3) - A Marfrig (MRFG3) registrou um prejuízo líquido de R$ 634 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma reversão ao lucro líquido de R$ 109 milhões apurado em igual intervalo de 2022.

 

Marisa (AMAR3) - A Marisa (AMAR3) registrou um prejuízo líquido de R$ 149 milhões no primeiro trimestre deste ano, cifra 64,2% superior às perdas líquidas de R$ 90,7 milhões apuradas em igual intervalo de 2022.

 

Melnick (MELK3) - A Melnick (MELK3) registrou um lucro líquido de R$ 20,1 milhões no primeiro trimestre.

 

Mills (MILS3) - A Mills (MILS3) registrou um lucro líquido de R$ 66,4 milhões no primeiro trimestre.

 

Modal (MODL3) - O Modal (MODL3) registrou um prejuízo líquido ajustado de R$ 30,6 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma reversão ao lucro líquido de R$ 45,3 milhões apurado em igual intervalo de 2022.

 

Multi (MLAS3) - A Multi (MLAS3), ex-Multilaser, registrou um prejuízo líquido de R$ 342,6 milhões no primeiro trimestre deste ano.

 

Nubank (NUBR33) - O Nubank (NUBR33) registrou um lucro líquido de US$ 141,8 milhões (R$ 736,1 milhões) no primeiro trimestre deste ano, uma reversão ao prejuízo líquido de US$ 45 milhões apurado em igual intervalo de 2022.

 

Oncoclínicas (ONCO3) - A Oncoclínicas (ONCO3) registrou lucro líquido de R$ 41,2 milhões no primeiro trimestre.

 

Orizon (ORVR3) - A Orizon (ORVR3) registrou um prejuízo líquido de R$ 43,2 milhões no primeiro trimestre deste ano.

 

Rede D Or (RDOR3) - A Rede D Or (RDOR3) registrou um lucro líquido de R$ 287,4 milhões no primeiro trimestre, uma expansão de 36,5% em um ano.

A receita líquida somou R$ 4,914 bilhões entre janeiro e março deste ano, queda de 8,5% em doze meses.

 

Saraiva (SLED3)(SLED4) - A Saraiva (SLED3)(SLED4) registrou um prejuízo líquido ajustado de R$ 17,820 milhões no primeiro trimestre.

 

Sequoia (SEQL3) - A Sequoia (SEQL3) registrou um prejuízo líquido de R$ 60,3 milhões no primeiro trimestre.

 

Ser (SEER3) - A Ser Educacional (SEER3) registrou um prejuízo líquido ajustado de R$ 18,2 milhões no primeiro trimestre.

 

SLC Agrícola (SLCE3) - A SLC Agrícola (SLCE3) registrou um lucro líquido de R$ 574,9 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma queda de 28% em doze meses.

 

Taurus (TASA4) - A Taurus (TASA4) registrou um lucro líquido de R$ 35,4 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma queda de 81,8% em doze meses.

 

Westwing (WEST3) - A Westwing (WEST3) registrou um prejuízo líquido de R$ 13,6 milhões no primeiro trimestre deste ano, alta de 35,9% em perdas na base de comparação anual.