segunda, 17 de janeiro de 2022
[Square Banner - Mobile Topo 2] [300x250] [mobile] - Assessoria Ipê Investimentos 2022
[SpaceNow Desktop] [200x74] [spacenow] - Melhores oportunidades 2022
[SpaceNow Mobile] [150x74] [spacenow] - Melhores oportunidades 2022
Destino incerto

Alegações de manipulação de dados contra chefe do FMI são insuficientes, diz fonte francesa

Há rumores de que Kristalina Georgieva teria pressionado a equipe do Banco Mundial a alterar dados para impulsionar a classificação da China em um relatório

11 outubro 2021 - 09h16Por Reuters
[Billboard Topo 2] [970x250] [pagina-inicial] - Melhores oportunidades 2022
 Reuters. Chefe do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, 18/05/2021. Reuters. Chefe do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, 18/05/2021. - Crédito: Ludovic Marin/Pool via REUTERS

Por Leigh Thomas, da Reuters - As alegações de manipulação de dados contra a chefe do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, não são suficientes para comprometê-la diretamente, disse uma fonte do Ministério das Finanças francês nesta segunda-feira (11), antes de uma reunião do conselho do Fundo para decidir seu destino.

As alegações de que ela pressionou a equipe do Banco Mundial a alterar dados para impulsionar a classificação da China no relatório "Doing Business" quando ela estava no Banco Mundial estão pairando sobre Georgieva antes do início das reuniões anuais de uma semana do FMI com o Banco Mundial, nesta segunda-feira.

Georgieva nega veementemente as acusações, que datam de 2017.

[04] [Square Detalhe Notícia] [300x250] [geral] Melhores investimentos 2022

"Nossa opinião é de que a maioria dos elementos está sobre a mesa, (e) o relatório do escritório de advocacia não detalha elementos precisos que colocariam diretamente a diretora-gerente em questão", disse a fonte do Ministério das Finanças francês.

"É por isso que a França deu seu apoio à diretora-gerente e gostaria que hoje pudéssemos tomar uma decisão, como disse o conselho, 'muito em breve' de dar continuidade ao trabalho do FMI", acrescentou a fonte.

A França e outros governos europeus defenderam na sexta-feira que Georgieva, uma economista búlgara, conclua seu mandato como chefe do FMI, enquanto as autoridades norte-americanas e outros procuraram mais tempo para estudar os diferentes relatos sobre irregularidades nos dados.

 

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content