Menu
Busca terça, 19 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Otimismo

Cisão com Itaú (ITUB4) representa melhora na governança da XP, diz o CFO Bruno Constantino

Entretanto, controladores do banco, Itaúsa e Iupar, ainda mantêm cerca de 20% de participação na corretora, o que garante direito à indicação de dois conselheiros na empresa

05 outubro 2021 - 08h16Por Investing.com

Por Ana Beatriz Bartolo, da Investing.com - O processo de cisão entre o Itaú (ITUB4) e a Xp Inc (NASDAQ:XP) se concretizou na segunda-feira (04), com o início das negociações de BDRs da corretora.

Para o CFO da XP, Bruno Constantino, isso representa uma melhora na governança da empresa, além de finalmente concretizar o acesso de investidores locais ao ativo.

Os controladores do Itaú, Itaúsa (ITSA4) e Iupar, ainda possuem cerca de 20% de participação na XP, o que garante direito à indicação de dois conselheiros na empresa. Constantino explica que isso “não é o melhor dos mundos quando se fala em governança, pois temos como um dos controladores um dos nossos maiores competidores”. Mas o CFO garante que a diminuição na participação feita hoje é positiva e já melhora a situação da empresa.

Thiago Maffra, CEO da XP, explica que a listagem dos BDRs era um sonho antigo da companhia e que era planejado desde que a empresa abriu capital na Nasdaq em 2019.

O processo para a venda dos certificados deveria ter acontecido em 2020, mas foi atrasado para que a XP concluísse a incorporação da XPart, veículo que detinha as ações do Itaú Unibanco na corretora.

Investidores não qualificados

Durante coletiva de imprensa, Maffra comentou sobre a possibilidade de algumas corretoras não terem restrito a oferta de BDRs a investidores qualificados.

“Ainda estamos analisando se isso aconteceu de fato e ainda precisamos definir o que faremos, se é que houve algum caso”. Maffra, porém, diz que se investidores não qualificados tiveram acesso a esses ativos antes do prazo, as ofertas seriam pequenas.

Reflexo no Itaú

A cisão com a XP fez com que as ações do Itaú Unibanco fossem ajustadas a ex-direito ao recebimento das BDRs da XP, com ajuste de -18,69% para as ações ordinárias (SA:ITUB3) e -17,54% para as ações preferenciais (ITUB4) com a cotação de abertura sendo respectivamente, R$ 22,65 e R$ 24,47.

O Inter reavaliou a sua recomendação sobre as ações preferenciais do Itaú para compra e com preço-alvo a R$ 32 para 2022.

Já a Itaúsa, que manifestou seu interesse em manter a XP em seu portfólio, mas se desfazendo aos poucos, teve a sua recomendação pelo Inter atualizada para neutra, com preço-alvo em R$ 13 para o próximo ano.

Tags: Inter, Itau, Itaúsa, XP

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: