Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Economia ecológica

Brasil tem a 1ª graduação em economia ecológica do mundo

10 julho 2020 - 16h11Por Carolina Unzelte

Enquanto o Brasil é questionado internacionalmente por suas políticas ambientais 一 e perde negócios 一, a Universidade Federal do Ceará tem o 1º curso de graduação em economia ecológica. O pioneirismo do bacharelado, que teve a primeira turma em 2015, é reconhecido pela Sociedade Internacional de Economia Ecológica. 

A área, que transita entre economia e ciências naturais, propõe-se a encontrar interações sustentáveis entre meio ambiente e sistemas de produção e consumo. "A economia não está acima de tudo e todos", diz Francisco Casimiro, coordenador do curso da UFC. "O modelo da economia ecológica é pensar primeiro na natureza, depois na sociedade e, então, na economia". 

É um objetivo diferente da economia ambiental, que visa minimizar o impacto das atividades econômicas no ecossistema. "Propomos a ruptura com o que fazemos hoje", afirma o professor Francisco Casimiro. "É o sistema societário que deve se adaptar ao sistema ecológico, e não o contrário". 

Economia ecológica na prática

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente afirmou, em relatório, que a pandemia de coronavírus foi causada pela degradação ambiental, com a possibilidade de transmissão de patógenos à animais. "A crise ambiental e social precede o surto que estamos vivendo", afirma Casimiro. "A situação de agora apenas expõe os problemas". 

Quer planejar melhor sua vida financeira? Fale com um especialista da SpaceMoney

Resolver essas questões pode parecer difícil a nível da economia mundial, mas a economia ecológica já tem experiências de sucesso. "Comunidades trabalham com agroecologia, por exemplo, pensando na segurança alimentar antes das necessidades do capital", exemplifica Francisco Casimiro. 

É também do Ceará que vem outro exemplo de economia solidária, com o bairro Conjunto das Palmeiras, em Fortaleza. "Os moradores têm a sua própria moeda e uma dinâmica diferenciada", explica o professor. 

O Banco das Palmas emite a moeda, reconhecida pelo Banco Central, para incentivar a compra e venda de comércios locais. A instituição também tem linhas de crédito especiais para os mais de 30 mil moradores do bairro, com taxas mais baixas. 

"A economia ecológica dá esse olhar que é capaz de resolver problemas locais", diz Casimiro. "E mostra que é possível mudar, ampliando aos poucos a transição para um novo sistema sustentável". 

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: