Menu
Busca segunda, 18 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Ações recomendadas

Órama aposta em setor elétrico e em dividendos para abril; veja carteira

A casa de investimentos seguirá com um cenário parecido com o de março, tomando como base um a economia mais instável e com expectativa de volatilidade à frente

01 abril 2021 - 10h37Por Investing.com

Por Ana Carolina Siedschlag, da Investing.com - A Órama Investimentos escolheu a Aura Minerals (SA:AURA33), B3 (SA:B3SA3), BTG Pactual (SA:BPAC11), BR Properties (SA:BRPR3), Engie (SA:EGIE3) Brasil, Itaúsa (SA:ITSA4), Natura (SA:NTCO3), Porto Seguro (SA:PSSA3), Vale (SA:VALE3) e Via Varejo (SA:VVAR3) para comporem a carteira recomendada de abril.

Em relatório desta quinta-feira (1), a casa de investimentos apontou seguir com um cenário parecido com o do mês de março para este mês, tomando como base um cenário econômico mais instável e com expectativa de mês mais volátil à frente por conta dos recentes acontecimentos políticos e a vacinação da Covid, que ainda está longe do fim.

Confira as justificativas para cada papel:

Aura Minerals

A companhia apresentou bons resultados operacionais no 4T20 e relevante guidance de crescimento na produção de minério, mesmo sem considerar novas aquisições, ou seja, o crescimento se dará via melhoras operacionais.

A corretora acredita que o programa “Mineração 360”, um projeto de mineração com práticas ESG, pode ser um diferencial para a companhia à medida que essas iniciativas vêm ganhando cada vez mais relevância para os grandes investidores.

B3

A Órama continua enxergando crescimento no número de CPFs na bolsa, o que, junto ao aumento na volatilidade dos mercados, também acaba gerando aumento de volumes operados e maior receita.

BTG Pactual

O banco vem se consolidando como uma plataforma completa de serviços financeiros, que atende desde a pessoa física até os clientes mais sofisticados. Assim, a Órama enxerga com bons olhos o aumento nas taxas de juros que resultam em maiores spreads cobrados nas operações de intermediação e gera uma ampla gama de possibilidades de estruturação e prestação de serviços.

Os analistas ressaltam o grande crescimento das operações que o banco entregou ao longo de 2020, com especial atenção para os serviços de wealth management, que geram importantes sinergias e receitas para a companhia. Segundo eles, o grande ativo do banco é a excelência do seu time e sua capacidade de entrega.

BR Properties

Visando manter a exposição ao setor imobiliário só que em um nicho mais resiliente os analistas entendem que a BR Properties é uma boa opção de investimento neste momento por ser uma das referências no cenários de imóveis comerciais de renda no país, com operações que vão desde a aquisição, locação, administração, incorporação, até o passo final que é efetivamente a venda do ativo.

Eles acreditam que neste cenário econômico o segmento imóveis comerciais deve ser menos afetado que segmentos de renda menor e desta forma a companhia seria beneficiada.

Engie Brasil

Para este mês, a Órama escolheu ativos que sofram menos com possíveis movimentos bruscos motivados por instabilidades políticas e sociais. Assim, chegaram ao setor Elétrico, com a Engie escolhida por ser uma companhia que vem apresentando resultados fortes e recorrentes, trazendo conforto no que diz respeito ao futuro da companhia.

Outro fator importante, escrevem, é que, por se tratar de uma geradora com fontes distintas, os riscos hidrológicos são mitigados e, consequentemente, em momentos em que o despacho de usinas termelétricas pode crescer, a empresa consegue se beneficiar.

Itaúsa

Para fortalecer as indicações com ativos que além de resilientes também possuam características de boas pagadoras de dividendos, os analistas decidiram colocar a Itaúsa, por também ter um desconto em patamares elevados.

Natura

Os resultados apresentados pela Natura no ano de 2020 foram acima das expectativas dos investidores. Para a Órama, a fusão entre a Natura e a Avon vem ganhando ainda mais robustez à medida que a força das marcas separadas vem aumentando ainda mais a penetração da companhia em setores que antes não eram diferenciais.

Os analistas enxergam que essa resiliência operacional pode resultar em ganhos para os investidores no ano de 2021.

Porto Seguro

O aumento nas taxas de juros impacta diretamente os spreads praticados nos produtos oferecidos pela Porto Seguro e, desta forma, juros mais altos significam maiores receitas. Com relação à sinistralidade, a pandemia diminuiu os custos das seguradoras com os sinistros, e não enxergamos a retomada desses fatores de forma abrupta, o que é positivo para as companhias.

Por fim, escrevem que a Porto Seguro é uma boa pagadora de dividendos e mesmo com as taxas de juros crescendo, os dividendos projetados da companhia ainda são atrativos para os investidores.

Vale

Os analistas acreditam que a retomada das economias globais resultará em um novo superciclo de commodities, especialmente no minério de ferro, principalmente em países como a China.

Além da citada retomada, eles veem no horizonte estímulos vindo para reforma de infraestrutura nas economias desenvolvidas, o que vai aumentar a demanda de minério no futuro.

Via Varejo

Após um ano onde a companhia conseguiu colocar em prática seu processo de turnaround e efetivamente entregar valor para seus clientes acreditamos que tenha chegado a hora das ações da Via Varejo voltarem a figurar dentre as recomendações da Órama, com quarto trimestre como o consolidador de um bom ano para a companhia.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: