Menu
Busca segunda, 18 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Governo

Líder do governo diz que vai “tratorar” a oposição e votar reforma da Previdência hoje na Câmara

09 julho 2019 - 19h18Por Angelo Pavini
A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselman (PSL-SP), afirmou que ainda está sendo construído acordo sobre o procedimento de votação da reforma da Previdência, prevista para hoje no Plenário da Câmara. Após a oposição rejeitar acordo proposto pelo governo para não obstruir e votar o texto só amanhã, Hasselman afirmou que os partidos que apoiam a reforma vão “tratorar e vencer a obstrução da oposição”. “A gente tem que ter os partidos alinhados para votação. Alguns querem iniciar a votação hoje, outros querem iniciar amanhã. Então, é isso que estamos construindo, vamos aguardar um quórum bom, vencer a obstrução e colocar em votação. Eu gostaria de colocar ainda hoje, nem que seja de madrugada”, disse a líder. Segundo ela, há alguns acordos sobre a apresentação de destaques no texto ainda não foram fechados, como o que beneficia professores e outro que atende a algumas demandas da bancada feminina. Mais cedo, a bancada feminina se reuniu e defendeu mudanças na proposta a ser analisada no Plenário. A principal demanda é um ajuste na fórmula de cálculo do benefício de contribuição exigido para mulheres. Conforme as deputadas, apesar de o tempo de contribuição exigido para mulheres ter reduzido de 20 para 15 anos, a contagem do acréscimo de dois pontos percentuais ao ano para o valor da aposentadoria ir de 60% da média para 100% inicia aos 20 anos trabalhados, e não aos 15 anos. Em relação aos policiais federais, Hasselman disse que eles já estão sendo beneficiados no texto do relatório. “Há um destaque do PL em relação aos professores, e vou conversar com o líder sobre isso. Os policiais estão sendo bem atendidos: vão se aposentar dez anos antes de qualquer cidadão e vão ter a integralidade, é a única categoria que tem a integralidade. Já em relação às mulheres, está havendo algumas conversas entre a equipe econômica e a bancada para fazer alguns ajustes, mas não é nada que tenha um grande impacto”, disse a líder.

Líder do PT defende obstrução

O líder do PT, deputado Paulo Pimenta (RS), disse que o partido vai obstruir a votação da reforma da Previdência – usar o regimento para tentar impedir a análise do texto. “É um projeto que destrói a Previdência pública do País, penaliza as pessoas mais pobres, as pensionistas, e protege as distorções”, disse. Ele criticou ainda a liberação de R$ 1 bilhão pelo governo federal às vésperas da reforma e sem indicar os deputados beneficiados. “Se a reforma é tão boa, por que usar de um estratagema para blindar o deputado que vai receber o recurso?”, questionou. Pimenta destacou que a rubrica orçamentária utilizada não tem previsão de recursos.

Oposição tenta adiar a votação

Partidos de oposição rejeitaram a proposta de acordo com o governo e decidiram obstruir a votação da reforma da Previdência. O chamado “kit obstrução” é um conjunto de procedimentos que incluem requerimentos diversos de adiamento de votação, de retirada de pauta e de verificação de votação que pode atrapalhar e adiar a votação da proposta. Na reunião de líderes desta manhã, o governo propôs à oposição que retirasse a obstrução em Plenário no dia de hoje, para que os parlamentares debatessem a proposta, e deixassem a votação para amanhã, com apenas dois requerimentos de obstrução. Na avaliação da líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), isso é uma demonstração clara que o governo está inseguro sobre o número de votos e por isso propôs adiar a votação para amanhã. Feghali disse que a bancada feminina e a bancada evangélica estão reunidas para debater o posicionamento dos seus parlamentares em relação à reforma. Ela explicou que muitos deputados e deputadas são contrários às alterações na pensão por morte. “Eles não querem votar uma série de pontos no texto, que envolvem viúvas, órfãos, porque a pensão por morte é uma das maiores crueldades, pois coloca a pensão por morte abaixo do salário mínimo”, criticou. “O governo hoje não tem os votos. O governo quer ganhar por métodos não republicanos e não temos controle sobre isso. Mas o nosso papel de oposição vamos cumprir. Vamos tentar os dissidentes dessas legendas, os evangélicos e todos aqueles que não querem votar contra as mulheres, os professores e os profissionais de segurança”, disse a líder. Vice-líder da Minoria, o deputado José Guimarães (PT-CE) afirmou que o governo chegou aos 280 votos favoráveis ao texto e garantiu que a oposição vai fazer “barulho”. Ele ressaltou que, ainda assim, a oposição tem direito a nove destaques. “Serão, pelo menos, 72 horas de grandes tempestades no Plenário”, ironizou o deputado. As informações são da Agência Câmara O post Líder do governo diz que vai “tratorar” a oposição e votar reforma da Previdência hoje na Câmara apareceu primeiro em Arena do Pavini.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: