sábado, 04 de dezembro de 2021
Ibovespa

Ibovespa volta para a casa dos 94 mil pontos; dólar sobe forte, a R$ 5,63

28 setembro 2020 - 17h28Por Redação SpaceMoney

Ibovespa

O Ibovespa, principal índice acionário da B3, a bolsa brasileira, fechou com forte queda o pregão desta segunda-feira (28). A baixa foi puxada pelo anúncio de que o programa Renda Cidadã utilizará recursos de pagamentos precatórios e do Fundeb para financiamento.

Ao final da sessão, as perdas foram de 2,39%, aos 94.685 pontos.

O dólar, por sua vez, teve valorização de 1,34% e retomou a cotação mais alta dos últimos 4 meses, a R$ 5,635.

Veja os fatores que influenciaram os mercados hoje:

Mercados internacionais

Ásia (encerrados)

  • Nikkei 225 (Jap): 1,32% ↑
  • Shangai Composite (Chi): 0,06% ↓

Europa (encerrados)

EUA (encerrados)

Na China

O otimismo dos mercados internacionais veio da Ásia: as empresas chinesas blue chips registraram alta do lucro (19%) pelo quarto mês seguido em agosto. Com destaque para o setor imobiliário, os dados mostram a recuperação contínua da segunda maior economia mundial.

Nos EUA

A possibilidade de um novo pacote econômico dividiu a atenção com novos casos de coronavírus nos Estados Unidos. Enquanto a Câmara norte-americana deve chegar a um acordo sobre o valor dos estímulos, segundo a presidente Nancy Pelosi, Nova York, por exemplo, registrou mil casos de covid-19 em apenas um dia no sábado.

Além disso, o The New York Times revelou informações fiscais inéditas do presidente Donald Trump, o que pode trazer um novo elemento à corrida eleitoral de novembro. Com manobras tributárias, o magnata pagou apenas US$ 750 em imposto de renda no ano em que chegou à presidência, em 2016, e o mesmo valor no ano seguinte.

Em Brasília

Já no cenário nacional, as atenções se voltaram para o anúncio do Renda Cidadã, programa que deve substituir o Bolsa Família. O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o novo programa social utilizará recursos de pagamentos precatórios e parte do Fundeb para o financiamento.

A entrega da segunda parte da reforma tributária, que iria acontecer hoje, foi adiada devido à falta de consenso entre os membros do governo. Essa etapa pode trazer a desoneração da folha de pagamento a partir de um imposto sobre operações, lembrando a antiga CPMF.

Veja como os índices brasileiros operaram hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content