domingo, 05 de dezembro de 2021
Investingcom

Fique por dentro das 5 principais notícias de hoje

26 junho 2019 - 09h08Por Investing.com

Aqui estão as cinco principais notícias que você precisa saber sobre os mercados financeiros nesta quarta-feira, 26 de junho:

1. Mnuchin diz que acordo comercial EUA-China está 90% concluído.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, declarou nesta quarta-feira que o acordo comercial EUA-China está 90% concluído e que havia um “caminho claro” para concluir um acordo.

Os comentários de Mnuchin vieram depois de relatos de que os EUA estão dispostos a adiar o próximo lote de tarifas sobre US$ 300 bilhões em bens chineses, à medida que os negociadores comerciais preparam novas conversas. Washington faria uma concessão temporária para trazer Pequim de volta à mesa de negociações, segundo fontes citadas pela Bloomberg.

O presidente dos EUA, Donald Trump, e seu colega chinês, Xi Jinping, devem realizar discussões no sábado, nos bastidores da cúpula do G20. As expectativas para essa reunião permanecem baixas e os analistas dizem que o melhor cenário seria a retomada das negociações oficiais.

Uma fonte da Bloomberg sugeriu que as rodadas de reuniões entre altos funcionários do comércio dos dois países provavelmente recomeçariam após a cúpula do G20.

2. Wall Street se prepara para celebrar as esperanças de comércio

Os futuros dos EUA passaram de uma recuperação tímida para ganhos modestos na quarta-feira, após os comentários de Mnuchin.

O futuros do Dow ganhava 115 pontos, ou 0,4%, às 6h47, o S&P 500 subia 15 pontos, ou 0,5%, enquanto o índice de tecnologia Nasdaq 100 futuros negociavam em alta de 59 pontos, ou 0,8%.

As ações dos EUA fecharam em baixa nesta terça-feira, depois que o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, em um discurso de abertura, se irritou com a pressão política para cortar as taxas de juros. Powell reiterou sua mensagem da reunião da semana passada - a saber, que o Fed tomará a seu tempo para decidir se o impacto econômico das disputas comerciais e a baixa inflação foram significativas o suficiente para exigir um corte nas taxas.

3. Petróleo amplia rali em meio a inventário de estoques sólido

Os touros de petróleo recuperaram seu vento favorável após uma breve queda na terça-feira, quando dados semanais do Instituto Americano de Petróleo mostraram uma forte queda de 7,6 milhões de barris em estoques brutos dos EUA.

Os futuros de petróleo bruto dos EUA saltaram US$ 1,06, ou 1,8%, para US$ 58,89 por volta das 6h43, enquanto o petróleo Brent subia 80 centavos, ou 1,2%, para US$ 65,08.

Os dados oficiais do governo da Administração de Informação de Energia dos EUA serão divulgados às 11h30, em meio a expectativas de uma queda de 2,5 bilhões de barris.

O petróleo ganhou mais de 10% desde meados de junho, uma vez que as crescentes tensões entre os EUA e o Irã tiraram o protagonismo do atual conflito comercial sino-americano como o principal direcionador de preços no curto prazo.

4. Bens duráveis ​​podem mostrar impacto da disputa comercial entre EUA-China

Dados os comentários de Powell, acima, a publicação de pedidos de bens duráveis ​​para maio será o foco no calendário econômico de quarta-feira. Eles reforçarão ou compensarão a impressão de uma economia enfraquecida criada este mês por uma queda acentuada na contratação no mercado de trabalho e na confiança do consumidor.

O número principal está previsto para ficar estável após uma queda acentuada em abril. A menos volátil {{ec-59||leitura do núcleo}}, que exclui o transporte, deve subir 0,1%. Isso sugeriria uma recuperação tímida depois que os pedidos estagnaram em abril, pondo fim a dois meses consecutivos de contração.

A fraqueza nos dados econômicos dos EUA forneceria mais suporte para o argumento de que o Fed precisa aliviar a política rapidamente.

Os mercados atualmente esperam que o corte da taxa chegue em julho.

5. Bitcoin continua a impressionar à medida que o LedgerX recebe aprovação regulamentar

O bitcoin escalou posições adicionais à medida que continuou um rali de mais de duas semanas, que elevou seu preço de US$ 7.888 para quase US$ 13.000 na quarta-feira.

A principal razão citada para o boom renovado foram sinais de aceitação geral para as criptomoedas em geral.

O lançamento do projeto de moeda digital Libra, apoiado pelo Facebook, contribuiu para esse raciocínio, mas os touros poderiam encontrar uma desculpa semelhante com as notícias da terça-feira já que o LedgerX ganhou aprovação regulatória para um contrato futuro de bitcoin que será liquidado em bitcoin, ao invés de dinheiro.

O sinal verde da Commodity Futures Trading Commission significa que a bolsa de criptomoedas foi liberada para oferecer futuros, opções e swaps para investidores institucionais e de varejo, e pode servir como um sinal positivo para solicitações similares de rivais como a Bakkt.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content