Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
EUA

Estoques de petróleo bruto dos EUA saltaram 5,48 milhões de barris na semana passada

24 abril 2019 - 15h00Por Investing.com

Investing.com - Os estoques de petróleo bruto nos EUA subiram mais do que o esperado na semana passada, de acordo com dados oficiais do governo divulgados na quarta-feira.

A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês) afirmou em seu relatório semanal que os estoques de petróleo bruto tiveram aumento de 5,48 milhões de barris na semana até 19 de abril.

O seu dinheiro está parado no banco sem render absolutamente nada? Abra sua conta na Órama e comece a investir!

Isso foi comparado às previsões para um aumento de estoques de 1,26 milhão de barris, após uma queda de 1,4 milhão de barris na semana anterior.

O relatório da EIA também mostrou contudo que os estoques de gasolina caíram em 2,13 milhões de barris, em comparação com as expectativas de um consumo de 1,04 milhões de barris, enquanto os estoques de destilados tenham diminuído 0,66 milhão de barris, em comparação com as previsões para um declínio de 1,16 milhões.

Os preços de petróleo bruto dos EUA estavam positivos após a divulgação dos dados, mas depois recuaram. O WTI perdeu 40 centavos, ou 0,60%, a US$ 65,90 por barril às 12h53, comparado a US$ 66,17 antes da publicação.

Os contratos futuros de petróleo Brent, negociados em Londres, perderam 15 centavos, ou 0,2%, cotados a US$ 74,36 por barril, comparado com US$ 74,38 antes do lançamento.

Os preços do petróleo estavam sendo negociados mais baixos antes do relatório, depois que o Instituto Americano de Petróleo disse na terça-feira que os estoques de petróleo saltaram 6,9 milhões de barris ainda maiores do que na semana passada.

O petróleo se recuperou esta semana, com o petróleo West Texas Intermediate no caminho para ganhos de mais de 3% após os EUA terem afirmado na segunda-feira que vão acabar com todas as isenções de sanções contra o Irã, exigindo que os países suspendam as importações de petróleo de Teerã a partir de maio ou enfrentarão uma ação punitiva de Washington.

O analista sênior de commodities do Investing.com, Barani Krishnan observou, no entanto, que a proibição total do petróleo iraniano pode ter colocado a Arábia Saudita em uma posição precária, entre o presidente dos EUA, Donald Trump e a Rússia.

"Esta estratégia dupla saudita de parecer satisfazer a necessidade de Trump de baixar os preços do petróleo sem realmente enfrentá-los e persuadir os russos a suspenderem os aumentos de produção pelo maior tempo possível é improvável que funcione por muito tempo", advertiu Krishnan.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: