quarta, 01 de dezembro de 2021
PIB China

Destaques: PIB da China e acordo do Brexit

19 outubro 2020 - 09h15Por Investing.com

Por Geoffrey Smith - Investing.com -- A economia da China continuou a se recuperar no terceiro trimestre. 48 horas para chegar a um acordo sobre o estímulo fiscal dos EUA e uma grande reunião em Viena entre a Opep e seus aliados.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na segunda-feira, 19 de outubro.

1. Economia da China continua recuperação no terceiro trimestre

A China continuou sendo a única grande economia do mundo com crescimento neste ano. As estatísticas oficiais divulgadas durante a noite mostraram que o Produto Interno Bruto cresceu 2,7% no terceiro trimestre e 4,9% em relação ao ano anterior.

Enquanto o crescimento trimestral foi uma forte desaceleração de uma expansão revisada para cima de 11,7% nos três meses até junho, e ficou aquém das previsões de consenso de 3,2%, o trimestre terminou com uma tom relativamente forte, com dados de setembro para vendas no varejo e a produção industrial registrando seu mês mais forte desde o início da pandemia.

Os números chineses dominam um calendário de dados vazio na segunda-feira, com o índice do mercado imobiliário NAHB sendo o único outro indicador digno de nota, às 11h (horário de Brasília).

2. Pelosi dá prazo de 48 horas para pacote de estímulo

O teatro político em torno de um pacote de estímulo fiscal dos EUA continua, com a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, dizendo no fim de semana que ainda está otimista de que um acordo possa ser alcançado antes das eleições em 3 de novembro.

Pelosi definiu o prazo final da noite de terça-feira para um acordo, algo que deixa pouco tempo para superar o que parecem ser diferenças ainda grandes.

O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, disse no fim de semana que o Senado controlado pelo Partido Republicano votará em medidas individuais, uma estratégia que ainda visa evitar a adesão aos planos dos democratas da Câmara de canalizar dinheiro para governos estaduais e locais.

O presidente Trump, que ainda está em torno de nove pontos atrás do rival Joe Biden, de acordo com as pesquisas mais recentes, afirma apoiar um pacote de estímulo maior do que o proposto por Pelosi.

3. Ações devem abrir em alta; resultado da IBM (NYSE:IBM) esperado

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em alta, com esperanças de que a pressão de prazo mais recente concentre as mentes para obter apoio para empresas e famílias em dificuldades.

Às 8h34, os futuros do Dow 30 subiam 199 pontos, ou 0,6%, enquanto os futuros do S&P 500 subiam 0,8% e os futuros do Nasdaq subiam 1%.

A empresa de serviços de campos petrolíferos Halliburton e o especialista em ar-condicionado Lennox lideraram um início de semana relativamente tranquilo em termos de resultados, enquanto a IBM será a principal a publicar seus números após o fechamento.

4. Libra sobe com esperanças de acordo do Brexit

libra esterlina voltou a subir acima de US$ 1,30 na esperança de que o Reino Unido e a UE ainda encontrem uma maneira de romper o impasse em suas negociações sobre futuros acordos comerciais, assim que o período de transição pós-Brexit terminar em 31 de dezembro.

Espera-se que a Câmara dos Lordes do Reino Unido altere fortemente a controversa Lei do Mercado Interno, que deve começar a ser debatida esta semana, removendo ou diluindo as principais cláusulas que representam uma violação do Acordo de Retirada que rege o processo de transição.

O Acordo de Retirada, no qual as duas partes se comprometeram a não permitir a construção de uma fronteira "rígida" na ilha da Irlanda, também deveria ser a base de qualquer futuro acordo comercial. O primeiro-ministro Boris Johnson defendeu o acordo no ano passado como um acordo "pronto para o forno", mas ele e seu partido agora querem descartá-lo.

5. Opep+ irá revisar o acordo de produção

A Opep e seus aliados se reúnem em Viena para revisar o estado de seu acordo sobre os cortes no fornecimento de petróleo do mercado mundial.

O bloco deve cumprir - pelo menos em princípio - seu cronograma de devolução de quase 2 milhões de barris de petróleo por dia aos mercados mundiais a partir do início do próximo ano. No momento, está retendo cerca de 7 milhões de bpd, em um esforço para reduzir alguns dos estoques que se acumularam quando a pandemia causou o colapso da demanda no início do ano.

No entanto, a fragilidade da recuperação econômica - pelo menos fora da China - gerou especulações de que o bloco pode postergar o aumento planejado da produção. Alguns esperam que o comunicado final da reunião expresse um certo grau de flexibilidade se as condições do mercado assim exigirem.

Os futuros do petróleo norte-americano caíam 0,2%, a US$ 41,02 o barril, enquanto o Brent caía 0,3%, para US$ 42,80.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content