Menu
Busca quarta, 22 de setembro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Inter

Banco Inter tem prejuízo de R$ 8,4 milhões no 1º trimestre; ações caem mais de 4%

20 maio 2020 - 13h59Por Investing.com
Por Gabriel Codas Investing.com - Na parte da manhã desta quarta-feira as ações do Banco Inter (SA:BIDI11) operam com forte queda na B3, indo na contramão da alta do Ibovespa hoje. O banco digital anunciou na noite de ontem, após fechamento do mercado, que encerrou os três primeiros meses do ano com prejuízo líquido de R$ 8,4 milhões, sendo que no mesmo período do ano anterior o resultado foi positivo em de R$ 12,1 milhões. Por volta das 11h15, os ativos cediam 4,57% a R$ 26,72. O Ibovespa registrava ganhos de 1,57% a 82.012 pontos. Em relatório divulgado na noite de ontem, a instituição explica que os números refletem principalmente a variação da marcação a mercado de títulos e valores mobiliários mantidos na tesouraria. Em termos ajustados, o Inter diz ter apresentado lucro líquido de R$ 11 milhões no trimestre, montante 9,2% menor do que o apurado um ano antes. Entre janeiro e março, as receitas totais somaram R$ 288,5 milhões, crescimento de 40,1% em relação ao mesmo período de 2019. No trimestre, as entradas de intermediação financeira, que incluem as operações de crédito, atingiram R$ 209,9 milhões, alta de 22% em relação ao primeiro trimestre de 2019. No caso das receitas de serviços, o total foi de R$ 97,8 milhões, alta dede 131% em relação ao primeiro trimestre de 2019. Enquanto que as despesas com provisão para crédito somaram no trimestre R$ 50,5 milhões, ficando 125% acima do que no mesmo período de 2019. Visão dos analistas O BTG Pactual (SA:BPAC11) entende que o ROE provavelmente permanecerá com um dígito baixo nos próximos trimestres, e a crise pode desacelerar a monetização de algumas iniciativas, mas acredita que o caso de investimento de médio a longo prazo permaneça intacto. Para os analistas, com as ações em queda de 39% no acumulado do ano e uma depreciação aguda do real, o Inter está com um valor de mercado de US$ 1,1 bilhão, o que parece atraente (principalmente em relação aos pares europeus), uma vez que possui uma licença bancária completa, depósitos baratos, mais de 5 milhões de clientes e vários outros produtos e iniciativas interessantes. A equipe entende que avaliar o banco por meio de uma abordagem DDM é definitivamente um desafio, mas a oportunidade ainda parece considerável. Portanto, reiteramos a avaliação de compra, mas admite que é improvável que os resultados de curto prazo sejam um acionador de estoque.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: