segunda, 06 de dezembro de 2021
Mais rentabilidade

Veja três motivos para sair da poupança e diversificar seus investimentos

12 fevereiro 2021 - 09h57Por Redação SpaceMoney

A facilidade de investir e a praticidade de sacar dinheiro a qualquer hora são dois dos fatores que mais atraem os brasileiros para a tradicional poupança. Segundo o Raio X do Investidor 2020, divulgado pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) em julho do ano passado, o correntista médio deixa cerca de 70% de seus investimentos na aplicação.

No entanto, a simplicidade é a única vantagem que a poupança tem entregado aos investidores nos últimos meses: com a taxa Selic na mínima histórica de 2% ao ano e a inflação a 4,56% no acumulado em 12 meses, o rendimento da aplicação tornou-se negativo.

Confira abaixo três motivos reunidos pela especialista em investimentos Laura Bartelle para perder o medo de tirar o dinheiro da poupança e começar a ganhar mais rendimento com outros investimentos.

1. Rendimento real negativo

Apesar de ser uma aplicação considerada segura, a poupança ficou bem atrás da inflação de 4,52% registrada em 2020 e teve a pior rentabilidade dos últimos 18 anos, com retorno negativo de 2,3%. O ano de 2020 foi também o segundo consecutivo em que o rendimento da poupança perdeu para a inflação.

Em 2019, o investimento teve uma perda real de 0,05%, descontado o IPCA. A última vez que isso havia ocorrido foi em 2015 (-2,28%). 

2. Só remunera na data de aniversário

A poupança tem liquidez diária, afinal é possível fazer saques todos os dias, mas, por outro lado, o saque com rentabilidade só pode ser feito 30 dias depois do valor investido. "Se eu apliquei no dia 1 de maio, só vou ter rentabilidade se resgatar no dia 1 de junho. Se sacar antes, perco o ganho. Há outras formas de investir com liquidez melhor e mais rentabilidade", comenta Laura.

3. Há outras opções seguras

Uma das formas, segundo a especialista, é o Tesouro Selic, um título da dívida pública emitido pelo Governo Federal por meio do Tesouro Direto. Nesta modalidade, o investidor empresta dinheiro ao poder público e recebe de volta com juros em D+1, ou seja, é possível sacar no dia seguinte ao investimento. Outra opção segura são os Fundos Trend com liquidez D+0, que permitem o saque a qualquer hora.

Com informações da Hoch Muller
 

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content