domingo, 28 de novembro de 2021
Destaques do dia

Destaques: Trump passa por processo de impeachment e dólar interrompe rali

13 janeiro 2021 - 09h29Por Investing.com
Campanha Black Friday 2021 - Warren

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - O presidente Donald Trump deve ser o primeiro presidente dos EUA na história a passar duas vezes por um processo de impeachment em seu mandato. A correção de alta do dólar tem uma pausa após o forte leilão do Tesouro e comentários mais dovish de dirigentes do Federal Reserve. A Couche-Tard está em negociações para comprar o Carrefour (SA:CRFB3) da França, e a Visa desistiu da aquisição da Plaid. Os números do IPC para dezembro e as estimativas oficiais de estoque de petróleo ficam no radar.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quarta-feira, 13 de janeiro.

1. Trump deve passar por processo de impeachment novamente

Ser cassado uma vez pode ser considerado uma desgraça. Ser (SA:SEER3) acusado duas vezes parece descuido, como Oscar Wilde poderia ter dito.

Donald Trump deve fazer história na quarta-feira, com a Câmara dos Representantes marcada para impugná-lo pela segunda vez, apenas uma semana antes de seu mandato expirar.

As chances de uma condenação no Senado também parecem estar aumentando, com um número crescente de senadores republicanos se voltando contra Trump após outra entrevista incendiária na terça-feira, na qual ele defendeu sua incitação ao violento ataque da semana passada ao Capitólio. Tanto Mitch McConnell, o ex-líder da maioria, quanto a influente Liz Cheney estão agora abertos a votar para condená-lo, de acordo com vários relatos.

2. Dólar cede após forte leilão de títulos, comentários dovish do Fed; IPC no radar

O dólar e os rendimentos dos títulos de 10 anos caíram após forte interesse em um leilão do Tesouro na terça-feira, junto com comentários de funcionários do Federal Reserve que resistiram ao boato de redução das compras de ativos no final do ano.

A presidente do Fed de Kansas City, Esther George, notavelmente, disse que é muito cedo para falar em redução do estímulo monetário, enquanto Eric Rosengren, do Fed de Boston, se recusou a se envolver em qualquer conversa sobre redução gradual.

O movimento nos rendimentos dos títulos nesta semana vai adicionar um tempero extra aos dados de inflação ao consumidor, que saem às 10h30, horário de Brasília. Os analistas esperam que a taxa anual principal suba para 1,3%, ainda bem abaixo da meta de 2% do Fed, enquanto a taxa básica de inflação deve permanecer em 1,6%. A variação mensal é esperada em 0,4%.

3. Ações perto da estabilidade; Visa abandona planos com a Plaid

Os índices americanos devem abrir mistos mais tarde, depois de uma recuperação decididamente muda durante a sessão de terça-feira, que foi ofuscada pela briga política em Washington.

Por volta das 9h12, os futuros do Dow Jones, futuros do S&P 500 e os futuros do NASDAQ Composite operavam todos próximos à estabilidade.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem o provedor de dados IHS Markit (NYSE:INFO) (SA:I1NF34), que está em processo de compra pela S&P Global (NYSE:SPGI), e da Visa (NYSE:V) (SA:VISA34), que disse na terça-feira que abandonou o plano de aquisição da Plaid devido a preocupações antitruste.

As ações da Tesla (NASDAQ:TSLA) (SA:TSLA34) também podem ser impulsionadas pela notícia de que entrou com um pedido para uma entidade legal na Índia.

4. Couche-Tard em negociações para comprar o Carrefour

A Couche-Tard (TSX:ATDb), do Canadá, dona de várias cadeias de lojas, incluindo a K Circle, está em negociações para comprar o Carrefour (PA:CARR), com sede na França, em um negócio de mais de US$ 30 bilhões, incluindo dívidas.

A aquisição aumentaria substancialmente a presença global da empresa canadense, especialmente em mercados emergentes, notadamente Brasil e Argentina, onde o Carrefour investiu pesadamente nas últimas duas décadas.

As ações do Carrefour, que tiveram desempenho inferior ao da maioria dos varejistas de alimentos da Europa no ano passado, subiram mais de 13% com as notícias de Paris.

5. Queda nos estoques dos EUA mantém alta do petróleo; EIA no radar

A alta do petróleo bruto desacelerou, mas permanece intacta após dados do American Petroleum Institute na terça-feira mostrarem uma queda mais acentuada do que o esperado nos estoques pela segunda semana consecutiva.

Os dados oficiais do governo saem às 12h30 e devem mostrar um declínio de 2,27 milhões de barris. A estimativa da API caiu em mais de 5,6 milhões.

Por volta das 9h16, os Petróleo WTI Futuros dos EUA subiam 0,39%, a US$ 53,41 o barril, enquanto o Brent permanecia tinha alta de 0,21% a US$ 56,70. Ambos os contratos atingiram novas máximas de 11 meses durante a noite, ajudados por comentários de um dirigente da Agência Internacional de Energia de que a pandemia não antecipou maciçamente o pico esperado na demanda mundial de petróleo.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content