Menu
Busca domingo, 17 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Destaques do dia

Destaques: reunião do Fed e economia europeia no radar

16 dezembro 2020 - 09h10Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - O Federal Reserve encerra a última reunião do ano, enquanto as vendas no varejo de novembro nos EUA ficam no radar. O euro e a libra esterlina sobem com a principal autoridade da União Europeia dizendo ver um caminho para um acordo comercial pós-Brexit, e a alta do petróleo é interrompida por um aumento surpreendente nos estoques dos EUA.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quarta-feira, 16 de dezembro.

1. Última reunião do Fed no ano; vendas no varejo no radar

O Federal Reserve encerra sua última reunião de política monetária do ano, em um cenário de baixas expectativas de ação, apesar de uma visível desaceleração da economia sob a influência da última onda da pandemia.

O Federal Open Market Committee, ou FOMC, o comitê de política monetária da autarquia, fará o anúncio da decisão às 16h, horário de Brasília, com declaração do presidente do Fed, Jerome Powell, às 16h30.

O FOMC pode levar em conta os números das vendas no varejo no comunicado, que devem ser publicados às 10h30 com expectativa de queda para as vendas em termos mensais pela primeira vez desde abril, em 0,3%.

2. Economia europeia se mantém em dezembro; BCE suspende proibição de dividendos em bancos

A economia da Zona do Euro se manteve melhor do que o esperado em dezembro, apesar da disseminação de bloqueios por todo o continente para conter o coronavírus.

De acordo com os índices de gestores de compras compilados pela IHSMarkit, o nível de atividade vai se contrair apenas marginalmente neste mês: o PMI composto da região se recuperou para 49,8, apenas um pouco abaixo do nível 50 que normalmente separa o crescimento da expansão.

Os números foram divulgados uma semana antes do feriado de Natal. Assim, mal levam em consideração o forte bloqueio na Alemanha que começa hoje, enquanto as perspectivas de curto prazo para a economia dependem em grande medida das negociações comerciais pós-Brexit com o Reino Unido.

Também, o Banco Central Europeu confirmou que suspenderá a proibição de dividendos bancários a partir de dezembro, embora tenha apelado aos bancos para não pagarem dividendos ou grandes bônus até setembro, no mínimo.

3. Rali de fim de ano continua, assim como negociações para pacote

A alta do final de ano parece ter começado, com os índices americanos apontando para abertura em alta forte nesta terça-feira.

O Dow Jones Futuros, o S&P 500 Futuros e o Nasdaq 100 Futuros avançavam 0,26%, 0,28% e 0,22%, respectivamente.

O mercado está sendo impulsionado por sinais de progresso real nas negociações sobre um pacote de estímulo fiscal após as primeiras reuniões na terça-feira entre o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi. McConnell disse que "progresso significativo" foi feito ao longo do dia, em um contexto de relatórios sugerindo que sua sugestão de retirar as disposições sobre proteção de responsabilidade para empresas e apoio aos governos estaduais e locais foi amplamente aceita.

4. Perspectivas para acordo do Brexit impulsionam libra e euro

A presidente da Comissão da União Europeia, Ursula von der Leyen, disse que vê um "caminho para um acordo" nas negociações comerciais pós-Brexit com o Reino Unido, mandando a libra esterlina para acima de US$ 1,35 e o euro acima de US$ 1,22 pela primeira vez em mais de 2 anos e meio.

A libra também foi ajudada por um PMI composto que indicou que a economia britânica está voltando ao crescimento em dezembro, embora o nível do índice de 50,7 estivesse abaixo das expectativas.

Já o primeiro-ministro Boris Johnson resistiu à pressão para abandonar seus planos de relaxar as restrições às reuniões sociais no Natal, o que pode amenizar a dor econômica de colocar a capital Londres no nível mais alto das restrições da Covid-19.

5. Petróleo consolida após choque com números da API

Os preços do petróleo se consolidaram durante a noite, divididos entre o otimismo sobre as perspectivas de um pacote de estímulo dos EUA e a preocupação com um aumento surpreendente nos estoques dos EUA na semana passada.

O American Petroleum Institute estimou que os estoques de petróleo bruto aumentaram quase 2 milhões de barris na semana passada, em vez da queda de 3,5 milhões de barris esperados. O impacto sobre os preços pode ser mais sustentado se os dados do governo confirmarem isso às 12h30.

O Petróleo Brent Futuros subia 0,32%, a R$ 50,92, enquanto o Petróleo WTI Futuros avançava 0,29%, a US$ 47,76.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: