Menu
Busca sexta, 17 de setembro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Finanças comportamentaisCOLUNA

Finanças comportamentais

Rodrigo Wiethorn

Especialista em comportamento do consumidor e marketing digital.

O comportamento do investidor: como a forma com que agimos afeta seus investimentos?

Um ser humano adulto precisa decidir por cerca de 35 mil escolhas durante um único dia de sua vida e a forma como se soluciona questões cotidianas dizem muito sobre seu modo de investir

13 setembro 2021 - 15h32
O comportamento do investidor: como a forma com que agimos afeta seus investimentos?

É mais do que normal que durante um dia tomemos diversas decisões. Entretanto, nem sempre paramos para pensar na totalidade delas.

Segundo dados da Thinking Business, um ser humano adulto precisa decidir por cerca de 35 mil escolhas durante um único dia de sua vida. Desde de que roupa vai vestir até que lanche fará à tarde, as decisões nos cercam o tempo todo, em especial no momento de investir.

Entretanto, é possível que você ainda não tenha entendido o porquê de falarmos tanto sobre decisões, sendo que o tema dessa nossa conversa é o Comportamento do Investidor.

Pois bem, esses são campos inteiramente interligados, uma vez que a forma como decidimos questões cotidianas diz muito sobre nosso modo de investir.

Para entender melhor essa relação e aprender a desenvolver um comportamento mais racional e vantajoso para seus momentos de decisão, continue conosco!

O que é o comportamento do investidor?

O primeiro passo que precisamos tomar quando queremos entender um assunto é perguntar o que ele é. No caso do comportamento do investidor, podemos defini-lo como um modo recorrente de agir que guia, ainda que inconscientemente, aquele que investe.

Esse comportamento pode ser determinado por 3 diferentes vieses que em breve detalharemos. Contudo, agora precisamos entender que esse é um modo de agir que varia de pessoa para pessoa, mas que também é altamente influenciado pelo mercado.

Para que entendamos de forma mais simples, vamos pegar um exemplo cotidiano.

Imagine que você é um consumidor à procura de um novo celular. Um comportamento recorrente seu é usar buscadores online para encontrar melhores modelos e ofertas.

Entretanto, algumas lojas usam mecanismos como gatilhos mentais para te convencerem a efetivar o consumo junto a elas. Por mais que você já estivesse exercendo um comportamento comum ao consumidor, o mercado ainda assim teve o poder de te influenciar na hora da compra.

Com os investimentos acontece a mesma coisa! Logo, vamos entender quais são esses mecanismos de influência e como podemos driblá-los.

Como os vieses comportamentais influenciam o investidor?

Antes de detalharmos cada um dos pontos que influenciam o comportamento do investidor, vale dar um último aviso. Esses vieses podem ser aplicados de forma autônoma ou em parceria. Ou seja, podemos ter a ação de um, dois ou três deles de uma única vez.

Viés de confirmação

O viés de confirmação é um dos mais perigosos quando tratamos de investimentos. Isso pelo simples motivo de que é muito fácil se prender a ele.

O definimos como o ato de interpretar dados e informações tendenciosamente, de modo a confirmar suas próprias convicções.

Sabemos que o cérebro humano tem uma tendência maior de absorver e acreditar em informações que confirmem suas perspectivas. E no mundo dos investimentos isso pode ser um problema enorme.

Para fugir do viés de confirmação, procure sempre por provas concretas que justifiquem suas ações. Investir por achismos é um erro principiante perigosíssimo nessa situação.

Viés da ancoragem

O viés de ancoragem, comumente usado para convencer consumidores, acontece quando uma informação inicial é muito chamativa e prende a atenção do investidor, de modo a ter maior peso no momento da tomada de decisão.

Nem sempre podemos confiar nos primeiros valores que recebemos. Entretanto, com o viés da ancoragem, nos sentimos tendenciosos a isso.

Como exemplo, imagine que recebeu a informação de que uma companhia X custa R$50,00: essa será a informação que usará como âncora.

Logo, se na sequência alguém lhe disser que a companhia Y custa R$100,00 você automaticamente a verá como muito cara, ainda que não tenha nenhuma informação extra que permita comparar as duas empresas.

Para evitar ser pego por esse viés, estude a fundo suas opções de escolha e não se prenda a um primeiro olhar. Buscando justificativas para suas decisões verá que fugir da ancoragem será tarefa fácil.

Falácia do jogador

O viés da falácia do jogador costuma ser o mais difícil de se entender, uma vez que ele mexe diretamente com dados probabilísticos.

Ele é descrito como a tendência que um investidor tem de tomar decisões com base em probabilidades que não podem ser comprovadas.

Para exemplificar, pense em um jogo de cara ou coroa. Após 5 jogadas, nas quais todas deram cara, podemos dizer com certeza que a sexta jogada também terá a mesma face voltada para cima?

Matematicamente falando, jamais poderíamos afirmar isso, uma vez que a cada novo jogo as probabilidades são de 50% a 50% para cada face.

Como forma de não se deixar levar pela falácia, analise suas probabilidades com base em dados confiáveis que se repetem e nunca em possibilidades de achismo.

Conclusão

O comportamento do investidor é um assunto que precisa ser debatido e amplamente divulgado, uma vez que ele é a solução para muitos problemas no mundo dos negócios.

Ao entender como cada um dos vieses se aplicam e como eles influenciam o seu momento de escolha, será mais simples organizar suas ideias para que não se perca em informações pouco embasadas.

A opinião e as informações contidas neste artigo são responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, a visão da SpaceMoney.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: